Células dendríticas afetam início e progresso da psoríase

Estudo publicado na “EMBO Molecular Medicine”

17 setembro 2014
  |  Partilhar:
Segundo uma equipa de investigadores, os diversos tipos de células dendríticas na pele humana possuem diferentes funções nos estádios iniciais e mais avançados da psoríase.
 
A psoríase é uma doença autoimune, cujos sintomas consistem na formação de lesões inflamadas e avermelhadas na pele, que variam entre leves a graves. Esta doença aparece muitas vezes associada a outras doenças como a diabetes, depressão ou doença cardíaca. A psoríase afeta cerca de 150 milhões de pessoas no mundo inteiro.
 
A equipa da Universidade de Medicina de Viena, na Áustria, propõe a adoção de novas estratégias para regular a composição das células dendríticas nas lesões causadas pela psoríase como um potencial tratamento daquela doença.
 
Os investigadores detetaram um aumento na acumulação de células dendríticas plasmocitóides, um tipo específico de células imunitárias que se podem infiltrar no tecido atingido durante as fases iniciais da psoríase, nas lesões causadas pela doença em pacientes e também em ratinhos.
 
Por outro lado, os níveis de células de Langerhans, um outro tipo de células dendríticas, eram significativamente mais baixos nas lesões, em comparação com a pele saudável, tanto em humanos como em ratinhos.
 
Foi observado que se os níveis de células dendríticas plasmocitóides em ratinhos fossem reduzidos durante os estados iniciais, verificava-se uma supressão nos sintomas de psoríase. Um decréscimo semelhante nas células Langerhans na fase inicial da doença não produzia o mesmo efeito. Quando os níveis destas células decresciam nos estados avançados da doença, os sintomas de psoríase agravavam-se.
 
“As alterações na gravidade dos sintomas que observámos associadas a alterações na composição das células dendríticas têm muito provavelmente um impacto no equilíbrio dos mediadores da inflamação no local da doença. O facto de se induzirem composições favoráveis de células dendríticas nos estádios iniciais da psoríase pode conseguir ajudar a reduzir os efeitos da psoríase se conseguirmos obter um melhor equilíbrio daqueles mediadores no local da doença. É necessária mais investigação antes que possamos determinar que tal abordagem poderá levar a um tratamento clínico viável para a psoríase”. 
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.