Células cancerígenas estão marcadas para se espalharem para um órgão em específico

Estudo publicado na revista “Cancer Discovery”

29 outubro 2019
  |  Partilhar:
Um estudo da Universidade da Califórnia do Sul descobriu que as células de cancro da mama invasoras do cérebro que circulam na corrente sanguínea têm um marcador que identifica o seu alvo.
 
Min Yu, uma das investigadoras, isolou células de cancro da mama do sangue de mulheres com a doença e metástases. Depois cultivou-as e expandiu-as em laboratório.
 
Ao analisar as células tumorais em modelos animais, foram identificadas proteínas e genes reguladores dentro das células que, aparentemente, conduzem o espalhamento espalhar do cancro para o cérebro.
 
Para testar esta teoria, foram injetadas as células tumorais humanas na corrente sanguínea deos roedoresratos. Como previsto, as células migraram para o cérebro.
 
Uma análise às células tumorais de uma paciente antecipou também que estas iriam migrar para o cérebro, o que acabou por acontecer.
 
Yu descobriu ainda que uma proteína na superfície das células dirigidas ao cérebro as ajudou a ultrapassar a barreira sangue-cérebro e alojar-se no tecido cerebral. Outra proteína dentro das células protegeu-as do ataque do sistema imunitário, permitindo-lhes o crescimento no cérebro.
 
Esta descoberta explica como as células tumorais no sangue definem o seu alvo e possibilita o desenvolvimento de tratamentos que previnam que o cancro se espalhe (metástases).
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar