Células cancerígenas: como se disseminam?

Estudo publicado na revista “Scientific Reports”

02 maio 2013
  |  Partilhar:

As células cancerígenas que escapam dos tumores e invadem os tecidos e órgãos circundantes são mais agressivas e ágeis do que as células não malignas, dá conta um estudo publicado na revista “Scientific Reports”.
 

Neste estudo os investigadores do Physical Sciences-Oncology Centers, nos EUA, exploraram as características físicas e químicas que modelam o desenvolvimento das células cancerígenas, as quais foram compiladas num catálogo.
 

Os 100 investigadores envolvidos no estudo fizeram uma comparação sistemática das características de linhas celulares do cancro da mama metastático e células da mama saudáveis, obtendo assim um conhecimento mais aprofundado de como ocorre o processo de metastização.
 

O estudo apurou que as duas linhas celulares apresentavam diferenças nas suas propriedades mecânicas, no modo como aderiam às superfícies, como migravam, de que forma respondiam ao oxigénio e na produção proteica.
 

Os investigadores, liderados por Robert Austin, verificaram que apesar de as células metastáticas migarem mais lentamente que as células saudáveis, estas moviam-se para locais mais distantes e em linha reta. O comportamento das células foi estudado em câmaras com a dimensão das células e canais em silicone que mimetizavam o que ocorre naturalmente dentro do organismo. “A mobilidade destas células metastáticas é uma característica essencial para conseguirem ultrapassar a matriz extracelular, a qual é utilizada pelo organismo para conter o tumor”, explicou o investigador.
 

Os autores do estudo também verificaram que, comparativamente com as células saudáveis, as malignas recuperavam mais rapidamente quando expostas a um ambiente com baixos níveis de oxigénio, o que vai ao encontro dos resultados anteriormente descritos. Foi ainda constatado que as células malignas produziam maiores quantidades de proteínas, o que as tornava mais móveis e capazes de invadir a matriz extracelular e escaparem do tumor.
 

Os investigadores esperam que estas descobertas ajudem na deteção precoce das células cancerígenas, e possam um dia também ajudar na prevenção no tratamento do cancro metastático, um cancro que se dissemina e é iniciado em diferentes partes do organismo, sendo responsável pela maioria das mortes provocadas por cancro.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 3 Comentar

o texto

esse texto na verdade eu amei mas não entede quase nada muito obrigado

o texto

esse texto na verdade eu amei mas não entede quase nada muito obrigado

o texto

esse texto na verdade eu amei mas não entede quase nada muito obrigado

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.