Casos de raiva põem França em estado de alerta

Autoridades europeias emitiram avisos para todos os Estados-membros da UE

01 setembro 2004
  |  Partilhar:

As autoridades sanitárias francesas estão à procura de três pessoas infectadas com raiva, por correrem «perigo de morte» depois de terem tido contacto com um cachorro que morreu da doença a 21 de Agosto, no sudoeste do país, informa a AFP. A Comissão Europeia lançou também um alerta a todos os Estados-membros. «Estamos muito inquietos e preocupados», sublinhou William Dab, director-geral da Saúde francês numa conferência de imprensa em que apelou às pessoas mordidas pelo cão para que se apresentem o mais rapidamente possível. As autoridades municipais lançaram terça-feira um apelo para que sejam encontrados os três adultos, de entre as mais de seis pessoas já identificadas que tiveram contacto com o cachorro, assim como a proprietária de uma cadela mordida pelo animal. A raiva é «a única doença infecciosa mortal a 100 por cento», lembrou Gilles Brucker, director-geral do Instituto de Vigilância Sanitária francês. A patologia não consegue ser curada depois do aparecimento de sintomas, tendo que ser obrigatoriamente tratada durante o período de incubação, que dura em média entre duas a oito semanas. O alerta actual é de «uma gravidade sem precedentes», afirma Brucker, o que se deve ao facto de o proprietário do animal ter estado em constante movimento durante Agosto, em plena época turística, e à sua presença em vários festivais de Verão no sudoeste de França: Perigueux (dia 5), Miramont (7 a 9) e Libourne (12 a 14). Perante o risco de raiva, a Comissão Europeia divulgou no sábado um alerta em todos os Estados-membros da União Europeia, uma medida excepcional destinada a sensibilizar os veraneantes e frequentadores de festivais que estão de regresso a casa. A raiva é uma doença fatal que ataca o sistema nervoso e pode paralisar todo o corpo. O vírus transmite-se através de cães, de gatos, de alguma criação e de certas espécies selvagens, em particular os pássaros. O cão em causa entrou em França no dia 11 de Julho. Foi importado ilegalmente de Marrocos. A União Europeia está em vias de criar um passaporte europeu para animais domésticos. Fonte: Público 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.