Caso 112: Médicos ilibam DECO

Médicos criticam «insuficiências»da Emergência Médica

22 janeiro 2003
  |  Partilhar:

A Ordem dos Médicos apontou ontem a existência de «insuficiências» no Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), que «necessita de dotação de meios humanos e financeiros» e não «que escondam as suas insuficiências».
 

 

A crítica da Ordem dos Médicos surge na sequência do incidente com a morte de uma idosa, alegadamente porque a equipa do INEM chamada para a socorrer foi desviada para uma chamada que acabou por se revelar um simulacro.
 

 

O incidente - que ocorreu no âmbito de um estudo realizado pela DECO para aferir a qualidade de resposta do 112 - acabou por levar o secretário de Estado da Saúde a suspender a participação do INEM do estudo, estando hoje a decorrer uma reunião entre os vários organismos envolvidos no estudo para apreciar o sucedido e aferir se o INEM voltará a participar na avaliação.
 

 

Em comunicado divulgado ontem, a Ordem dos Médicos (OM) salienta que «quando perante a emissão de um falso pedido de socorro, integrado num estudo programado, os serviços claudicam e doentes morrem por falta de assistência, a culpa não é do estudo, mas do serviço, que assim expõe de forma tão dramática as suas insuficiências».
 

 

Para a OM, o estudo realizado pela DECO, «através da emissão de falsos pedidos de socorro, é um método comum e adequado, que meramente mimetiza situações possíveis de ocorrer no dia a dia do serviço de emergência e com carácter real».
 

 

Fonte: Lusa
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.