Carne vermelha e processada aumenta risco de cancro colorretal

Estudo da Universidade de Southern California

30 outubro 2013
  |  Partilhar:

Um estudo conduzido por investigadores norte-americanos concluiu que o consumo de carne vermelha e processada aumenta o risco de cancro colorretal em pessoas com uma variante genética comum.
 

Denominada rs4143094, esta variante genética afeta uma em cada três pessoas, conduzindo ao aumento significativo o risco daquela doença oncológica com o consumo de carne vermelha e processada. Esta conclusão foi retirada de um estudo que contou com a participação de um grupo de 9.287 pacientes com cancro colorretal e de um grupo de controlo com 9.117 pessoas saudáveis.
 

Os investigadores analisaram 2,7 milhões de sequências genéticas para determinar se havia uma ligação entre o consumo da carne vermelha e processada e o cancro colorretal.
 

Segundo os investigadores, esta variante genética está localizada na mesma região do cromossoma 10 que possui um gene para o fator de transcrição denominado GATA3, o qual já foi várias vezes associado a muitas formas de cancro. A equipa afirma que o fator de transcrição codificado por este gene normalmente desempenha um papel no sistema imunitário.
 

A equipa explica que quando o organismo digere carne vermelha ou processada, poderá desencadear uma resposta imunológica ou inflamatória. Se a região do gene GATA3 consistir numa variante genética, poderá codificar um fator de transcrição desregulador, tornando difícil superar a resposta.
 

No entanto, quem não tem esta variante genética deve também evitar o consumo de enormes quantidades de carne vermelha ou processada, já que existem riscos para a saúde com o consumo de carne vermelha. Estudos anteriores demonstraram que este tipo de carne aumenta o risco da ocorrência da doença de Alzheimer e da diabetes de tipo 2.
 

Jane Figuerido, da docente assistente de medicina preventiva da Keck School of Medicine na Universidade de Southern California, EUA, considera que esta descoberta é importante porque poderá conduzir a melhores estratégias preventivas do cancro colorretal.
 

“O cancro colorretal é uma doença fortemente influenciada por certos tipos de dieta, Estamos a demonstrar os princípios subjacentes a essas correlações, e percebemos se variações genéticas tornam algumas pessoas mais ou menos suscetíveis a certos carcinogéneos na alimentação, que poderão ter implicações futuras importantes na prevenção e na saúde da população”.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

 

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.