Carlos César defende qualidade do serviço regional de saúde nos Açores

Presidente do Governo dos Açores critica propaganda sobre o setor no arquipélago

21 agosto 2012
  |  Partilhar:

Carlos César, presidente do Governo Regional dos Açores, criticou a “propaganda de palradores e escrevinhadores de ocasião” ao referir a qualidade do serviço regional de saúde no arquipélago dos Açores. O presidente sublinha que tal propaganda não descreve a realidade do setor nessa região autónoma, tendo destacado o “excelente” serviço regional de saúde disponibilizado.

 

Apesar de admitir a existência de “dificuldades de financiamento” do sistema público de saúde, Carlos César evidenciou que se pratica um “excelente serviço regional de saúde” nos Açores.

 

O presidente defendeu ainda que “o governo tem muitas razões para se orgulhar do trabalho que tem realizado e que está a realizar neste setor”. “Só quem não vive ou nunca viveu nas ilhas é que pode ignorar o extraordinário progresso que o setor da saúde teve nos Açores”, acrescentou.

 

Durante uma intervenção proferida por ocasião da cerimónia de lançamento da primeira pedra da obra de remodelação do Solar da Glória, em Ponta Delgada, o presidente evidenciou o trabalho que vindo a ser realizado no âmbito do combate à toxicodependência nos Açores. Carlos César salientou que as equipas móveis disponíveis nas ilhas da Terceira e S. Miguel apoiaram, em 2011, mais de 500 jovens e que os vários programas fomentados na área de prevenção abrangeram cerca de 14 mil jovens no mesmo ano.

 

O Solar da Glória irá acolher a primeira Unidade de Tratamento e Reabilitação Juvenil dos Açores. Orçada em 1,4 milhões de euros, a futura unidade irá atuar na área da luta contra a toxicodependência e irá disponibilizar uma área dedicada à desintoxicação, com capacidade para 10 camas, e uma área de reintegração, com capacidade para 20 camas.

 

A unidade irá dispor, no total, de uma capacidade média para atender 120 pessoas por ano, na fase de desintoxicação, e 60 pessoas na fase de ressocialização.

 

“É um investimento inovador à escala regional pois, até agora, os tratamentos foram feitos em comunidades terapêuticas do continente”, afirmou Carlos César.

 

Carlos César afirmou ainda que “temos procurado envolver os sistemas público e privado de saúde, do serviço social, de educação e do emprego, na perspetiva de soluções consolidadas na prevenção e na reabilitação”, e que é necessário “continuar a melhorar este trabalho”.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.