Cantinas públicas contaminadas com Listeria monocytogenes

Estudo do Instituto Nacional de Saúde Pública

19 abril 2009
  |  Partilhar:

Foram detectadas mais de cem amostras contaminadas com a bactéria Listeria monocytogenes – agente causador da listeriose, uma infecção bacteriana grave com uma elevada taxa de mortalidade – em cantinas públicas de escolas, hospitais e lares da terceira idade, revelou uma especialista de microbiologia à agência Lusa.

 

Isabel Santos, que trabalha no Laboratório de Microbiologia dos Alimentos, do Instituto Nacional de Saúde Pública Dr. Ricardo Jorge (INSA), falou sobre a emergência desta bactéria, à qual está associada a “mudança dos hábitos de alimentação”, durante o I Congresso de Saúde Pública que decorreu em Lisboa.

 

Na opinião da especialista, esta emergência poderá estar relacionada com a frequente utilização de alimentos frescos e prontos para consumo, que são conservados a temperaturas de refrigeração, um ambiente propício ao crescimento desta bactéria.

 

Entre os alimentos mais facilmente contaminados por esta bactéria encontram-se os vegetais em decomposição, a carne de porco, salames, “patês” de frango, carne de peru e carne de vaca.

 

Por outro lado, esta infecção, que apresenta uma taxa de mortalidade de cerca de 25%, infecta principalmente recém-nascidos, crianças, doentes crónicos e pessoas com o sistema imunitário debilitado. É esta a população de risco que frequenta as cantinas de instituições onde foram detectados alimentos contaminados pelo INSA durante um estudo que decorreu durante quatro anos.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.