Cannabis combate a obesidade

Novo medicamento contra a desenvolvido a partir da canabinóides

06 abril 2003
  |  Partilhar:

As pessoas que sofrem de obesidade terão brevemente à sua disposição um novo medicamento que reduz o apetite, obtido a partir de um estudo sobre os derivados da cannabis.
 

 

O medicamento, «Rimonabant», será apresentado no Congresso Europeu de Investigação sobre Canabinóides, que começou na sexta-feira passada em Madrid.
 

 

A substância reduz a actividade das células do cérebro que controlam o apetite, o que ajuda a controlar o aumento de peso corporal, segundo a apresentação a fazer no congresso por Gerard Le Fur, dos laboratórios Sanofi Sinthelabo, responsável pela comercialização do Rimonabant.
 

 

Estudos científicos demonstraram que os canabinóides aumentam o apetite, constatação que levou os especialistas da Sanofi a desenvolver uma substância «espelho», de estrutura inversa, que reduz a vontade de comer.
 

 

Ainda de acordo com a citada apresentação, o «Rimonabant» origina notáveis perdas de peso em cinco semanas, funcionando tanto com os obesos crónicos como com os pacientes que engordaram de forma eventual.
 

 

José António Ramos, organizador do congresso e presidente da Sociedade Espanhola de Investigação sobre Canabinóides (SEIC), explicou que brevemente poderá ser apresentando outro medicamento baseado no estudo da cannabis para combater o enfarte cerebral.
 

 

Os ensaios estão a ser dirigidos pelo professor Raphael Mechoulam, da Universidade Hebrew de Israel, e parecem proteger os neurónios da morte em caso de falta de corrente sanguínea, afirmou Ramos.
 

 

O investigador acrescentou que no Reino Unido está a ser estudado o efeito dos canabinóides em mil doentes com esclerose múltipla, indicando que os resultados poderão ser conhecidos no próximo ano.
 

 

Além disso, indicou que em Espanha está a ser desenvolvido um programa de tratamento experimental com pacientes que sofrem tumores cerebrais, aos quais é administrado um composto processado a partir da marijuana.
 

 

Os médicos acreditam que esta substância pode deter o crescimento das células tumorais, apesar dos seus resultados não serem definitivos, uma vez que o ensaio está na fase inicial.
 

 

Os canabinóides são moléculas presentes na planta ''annabis sativa, produzidas também de forma natural pelo corpo humano e que podem ser transformadas em laboratório.
 

 

Estas substâncias actuam sobre o cérebro aumentando ou diminuindo a actividade das células que registam a dor, das que movem os músculos ou das que regulam o apetite, entre outras.
 

 

Fonte: Lusa
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.