Canela pode melhorar a aprendizagem?

Estudo publicado no “Journal of Neuroimmune Pharmacology”

20 julho 2016
  |  Partilhar:
O consumo de canela pode melhorar a aprendizagem, sugere um estudo publicado no “Journal of Neuroimmune Pharmacology”.
 
O estudo levado a cabo pelos investigadores da Universidade de Rush, nos EUA, constatou que a ingestão de canela aumentava a capacidade de aprendizagem de ratinhos que tinham dificuldades na aprendizagem. 
 
“Esta pode ser uma das bordagens mais seguras e fáceis de converter maus alunos em bons alunos”, referiu, em comunicado de imprensa, um dos autores do estudo, Kalipada Pahan.
 
Alguns indivíduos nascem naturalmente bons alunos, outros conseguem ser bons alunos porque se esforçam, e alguns acham que é difícil aprender novas tarefas mesmo com esforço. Pouco se conhece sobre os processos neurológicos que caracterizam um aluno fraco e o que pode ser feito para melhorar o seu desempenho.
 
"Compreender os mecanismos cerebrais que conduzem à má aprendizagem é importante para o desenvolvimento de estratégias eficazes com o intuito de melhorar a capacidade de memória e aprendizagem", referiu o investigador.
 
Os investigadores constataram que o hipocampo (zona do cérebro envolvida na produção, organização e armazenamento de memória) dos animais com uma menor capacidade de aprendizagem tinham, comparativamente com os ratinhos controlo, menores quantidades de CREB (uma proteína envolvida na memória e aprendizagem) e maiores quantidades da subunidade 5 do recetor GABAA ou GABRA5.
 
No estudo, os ratinhos foram alimentados oralmente com canela, que é metabolizada pelo organismo em benzoato de sódio, um químico utilizado como fármaco para os danos cerebrais. Quando o benzoato de sódio entrou no cérebro dos animais, aumentou a CREB e diminuiu a GABRA5, além de ter estimulado a plasticidade dos neurónios do hipocampo. Estas condições conduziram a melhorias na memória e aprendizagem.
 
Desta forma, os investigadores dizem ter conseguido utilizar com sucesso a canela para reverter alterações bioquímicas, celulares e anatómicas que ocorrem nos cérebros dos ratinhos com baixa capacidade de aprendizagem.
 
Os cientistas treinaram ratinhos durante dois dias num labirinto com 20 buracos para identificar aqueles que tinham conseguido aprender e encontrar o buraco-alvo. Os animais foram submetidos ao mesmo teste após serem alimentados com canela ao longo de um mês.
 
O estudo apurou que, após terem consumido a canela, os ratinhos com menores capacidades de aprendizagem apresentaram melhorias nas capacidades de memória e aprendizagem, ao nível do observado nos animais controlo. Contudo, a canela não melhorou significativamente as capacidades dos animais que aprendiam com facilidade.  
 
Kalipada Pahan refere que são necessários mais estudos, mas se estes resultados forem replicados em alunos com problemas de aprendizagem, é um grande avanço. 
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.