Candidíase com fim anunciado

Investigadores portugueses trabalham na criação de uma vacina

30 maio 2005
  |  Partilhar:

 

 

 

O Laboratório de Imunologia do Instituto de Ciências Biomédicas de Abel Salazar (ICBAS) está envolvido num trabalho que incide sobre a candidíase, a doença mais comum provocada pelo fungo candida albicans.
 

 

Os resultados do projecto iniciado há três anos foram publicados no ano passado na revista Immunology. Segundo Manuel Vilanova, do ICBAS, o trabalho usa «uma estratégia de vacinação semelhante à que está a ser utilizada na cárie dentária, mas actuando numa proteína que é libertada pelo fungo».
 

 

E, deste modo, conseguiram induzir a protecção do sistema imunitário. Além do recurso a ratinhos, foi feita uma experiência isolada com macacos na Holanda, que, apesar dos resultados «promissores», não chegou a ser publicada.
 

 

Este trabalho, cuja continuidade está garantida nos próximos três anos com verbas da Fundação para a Ciência e a Tecnologia, vai beneficiar sobretudo «indivíduos que tenham o sistema imunitário fragilizado e, por isso, elevados riscos de infecção», nomeadamente, doentes com sida ou que tenham sido submetidos a cirurgias abdominais extensas. «Esta é das infecções com mais probabilidades de ser contraída nos hospitais.» A candidíase está «no quarto lugar do ranking das infecções hospitalares». O projecto vai manter-se no mundo dos ratinhos, mas estender-se-á a um «estudo mais bem caracterizado do poder vacinal que estas proteínas têm».
 

 

Fonte: Público
 

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.