Cancro: Manter o ovário saudável não compromete sobrevida

Estudo da Columbia University

12 agosto 2009
  |  Partilhar:

Conservar um dos ovários e o útero quando o cancro está num estado inicial preserva a fertilidade da mulher sem comprometer a sobrevida, revela um estudo que será publicado na edição de Setembro na revista “Cancer”.

 

Actualmente, dado tratar-se de um cancro extremamente agressivo, o procedimento clínico aconselha a remoção dos dois ovários e do útero.

 

O estudo da Columbia University, em Nova Iorque, EUA, analisou, entre 1988 e 2004, dados de mulheres com idades até aos 50 anos e que tinham sido diagnosticadas com cancro epitelial do ovário. Numa primeira fase do estudo foram comparadas 1.186 pacientes.

 

Em aproximadamente um terço das mulheres (36%) foi preservado o ovário saudável, as restantes foram submetidas à remoção dos dois ovários. Em termos comparativos, os resultados demonstraram que a taxa de sobrevida em cinco anos foi semelhante nos dois grupos.

 

Numa segunda análise foram avaliados dados de 2.911 mulheres, tendo sido preservado o útero a apenas 23% destas. A sobrevida, em cinco anos, também foi semelhante nos dois grupos.

 

De acordo com os autores, os benefícios de um tratamento cirúrgico que conserve o ovário e o útero, não atingidos pela doença, devem ser considerados em pacientes jovens que ainda não tiveram filhos.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.