Cancro e doenças autoimunes: associação patogénica?

Estudo publicado na revista “PLOS ONE”

21 agosto 2014
  |  Partilhar:

As doenças patogénicas e o cancro poderão ter em comum uma relação patogénica, sugere um novo estudo norte-americano.


Conduzido por investigadores da Universidade George Washington, em Washington, foi concluído que tanto os tumores como as células que estão envolvidas nas doenças autoimunes expressam os mesmos inibidores de destruição celular.


A equipa apurou que a survivina, uma proteína inibidora de apoptose (ou seja, da destruição celular) em tumores é também expressa nos linfócitos dos seres humanos e dos animais que são portadores de uma doença autoimune denominada miastenia gravis.


A miastenia gravis é uma doença neuromuscular que afeta cerca de 1 em cada 5000 indivíduos. Um paciente com a doença pode experienciar dificuldades em subir escadas, manter-se de pé, mastigar, engolir, falar e mesmo respirar. A doença pode ser tão debilitante e os músculos tornarem-se tão fracos que os pacientes necessitam, por vezes, de máquinas para os ajudarem a respirar.


Não existe atualmente uma cura para a doença. Esta é tratada com medicação, para melhorar a comunicação entre o sistema nervoso e os músculos, ou para suprimir a resposta do sistema imunitário, e através de alterações no estilo de vida do paciente.


Segundo Linda Kusner, professora assistente e investigadora no Departamento de Farmacologia e Fisiologia daquela universidade, a equipa descobriu que os linfócitos autorreativos dos seres humanos que sofrem de miastenia gravis expressam igualmente a survivina. Os investigadores apuraram que essas células fazem parte da disfunção subjacente a essa doença autoimunitária.


Para eliminar as células que expressam a survivina, os investigadores utilizaram uma técnica de vacina sobre um modelo animal, tendo conseguido melhorar os sintomas de miastenia gravis.


A equipa irá agora investigar uma forma de utilizar esta técnica em seres humanos. Segundo a especialista, esta técnica é promissora pois poderá trazer uma nova abordagem de tratamento desta e de outras doenças autoimunes, considerando que os tratamentos atuais acarretam diversas complicações para os pacientes.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.