Cancro: disseminação pode ser combatida com anti-hipertensores?

Estudo publicado na revista “Nature Communications”

20 dezembro 2016
  |  Partilhar:
Investigadores finlandeses descobriram que os bloqueadores dos canais de cálcio, utilizados na diminuição da pressão arterial, são capazes de inibir eficazmente a invasão das células cancerígenas da mama e do pâncreas, dá conta um estudo publicado na revista “Nature Communications”.
 
O cancro mata devido à sua capacidade de se disseminar pelo organismo e formar metástases. Desta forma, a comunidade científica tem-se focado no desenvolvimento de fármacos capazes de impedir a disseminação das células cancerígenas. No entanto, o desenvolvimento de novos fármacos é um processo muito longo, bem como dispendioso e muitos fármacos promissores acabam por ser rejeitados nos ensaios clínicos devido à toxicidade e efeitos secundários inesperados.
 
Assim, a identificação de novos alvos para fármacos já aprovados é uma área emergente no desenvolvimento de terapias anticancerígenas.
 
A identificação de fármacos anti-hipertensores como uma potencial terapia contra o cancro da mama e pâncreas metastático foi uma grande surpresa para os investigadores. Na verdade, não se sabia que o alvo destes fármacos estava presente nas células cancerígenas e como tal ninguém tinha colocado a possibilidade destes serem eficazes contra cancro do tipo agressivo. 
 
Já alguns anos que os investigadores do Centro de Biotecnologia de Turku, na Finlândia, têm tentado perceber como as células cancerígenas se movem e invadem o tecido circundante. Neste estudo, os investigadores verificaram que as células cancerígenas que se disseminam de uma forma agressiva expressam uma proteína, a miosina-10, que impulsiona a motilidade das células.
 
Os cancros que expressam a miosina-10 apresentam um grande número de estruturas denominadas por filopodia. Estas são estruturas viscosas semelhantes a dedos que as células cancerígenas utilizam para “sentir” o ambiente e deslocarem-se.
 
Neste estudo, os investigadores verificaram que os bloqueadores dos canais de cálcio são capazes de inativar estas estruturas, impedindo consequentemente o movimento das células cancerígenas. Estes resultados sugerem que estes fármacos poderão ser eficazes contra os cancros metastáticos. Contudo, na opinião dos investigadores ainda são necessários mais estudos para averiguar se estes fármacos serão eficazes na progressão do cancro. 
 
Os investigadores estão atualmente a avaliar se os bloqueadores dos canais de cálcio são capazes de impedir a propagação do cancro da mama e do pâncreas em modelos pré-clínicos e também através da análise de dados de pacientes.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar