Cancro: descoberto potencial tratamento

Estudo publicado no “Journal of Biological Chemistry”

10 maio 2016
  |  Partilhar:
Investigadores australianos identificaram uma via de fornecimento vital que as células cancerígenas utilizam para obter nutrientes. Esta descoberta, publicada no “Journal of Biological Chemistry”, pode conduzir a novos tratamentos capazes de impedir o crescimento dos tumores.
 
No estudo, os investigadores da Universidade Nacional Australiana bloquearam as vias através das quais as células cancerígenas obtêm o aminoácido glutamina e verificaram que as células deixaram de crescer quase completamente.
 
Na opinião de Stefan Bröer, líder do estudo, este método poderá funcionar em vários tipos de cancro, uma vez que que é um mecanismo bastante comum nas células cancerígenas. O investigador acrescenta que o método poderá também conduzir ao desenvolvimento de quimioterapia com menos efeitos secundários. 
 
Atualmente existem 917 tipos diferentes de cancros identificados. Contudo, muitos tratamentos apenas funcionam para um único tipo de doença ou tornam-se ineficazes à medida que os cancros desenvolvem resistência à quimioterapia.
 
No entanto, Stefan Bröer acredita que esta nova abordagem poderá ser menos propícia à resistência, uma vez que o bloqueio do mecanismo de transporte da glutamina é um processo externo ao qual será difícil as células cancerígenas escaparem.
 
Os autores do estudo começaram por tentar bloquear a glutamina através de alterações genéticas que desativavam o principal transportador de glutamina. Contudo, esta abordagem não se mostrou muito eficaz. As células montaram um alarme bioquímico que abriu uma segunda via na célula de forma a conseguirem obter a glutamina necessária.
 
No entanto, quando esta segunda via foi desativada, desligando o alarme bioquímico com uma técnica conhecida por silenciamento de ARN, o crescimento das células reduziu em 96%.
 
“É um momento emocionante para a investigação do cancro. Agora temos ferramentas precisas para manipular o genoma das células cancerígenas, o que nos permite resolver os problemas que eram de difícil resolução até à data”, referiu uma das autoras do estudo, Angelika Bröer.
 
Os investigadores concluíram que agora que as vias da glutamina foram identificadas no cancro, o próximo objetivo é encontrar fármacos capazes de bloquear e eliminar a doença.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.