Cancro da mama: melatonina pode diminuir crescimento tumoral

Estudo publicado na revista “PLOS One”

31 janeiro 2014
  |  Partilhar:

A melatonina, a hormona que regula os ciclos de sono e vigília, pode ajudar a diminuir o crescimento de determinados tipos de cancros da mama, defende um estudo publicado na revista “PLOS One”.
 

Uma vez que a melatonina parece ter propriedades antioxidantes, alguns especialistas acreditam que ela pode impedir o crescimento de alguns tipos de células cancerígenas.
 

Por outro lado uma das táticas utilizadas na limitação da progressão do cancro passa pelo controlo da angiogénese, a formação de novos vasos sanguíneos. Quando o tumor excede poucos milímetros de diâmetro, a falta de oxigénio, ou hipoxia, despoleta uma cascata de eventos que permite a ocorrência da angiogénese e a progressão do tumor.
 

De forma a determinar a eficácia da terapêutica da melatonina, os investigadores do Hospital Henry Ford, nos EUA, e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, no Brasil, decidiram avaliar, através de experiências in vitro e in vivo, a ação desta hormona na angiogénese do cancro da mama ER negativo.
 

Nas experiências in vivo foram utilizados modelos de ratinhos aos quais foi administrado melatonina, ao longo de 21 dias, uma hora antes de os animais permanecerem no escuro. Acredita-se que a administração da hormona antes do período noturno é mais eficaz uma vez que os tecidos estão mais sensíveis à sua ação.
 

Ao fim dos 21 dias de tratamento, submeteram os ratinhos a tomografias computorizadas para determinar se a terapia tinha diminuído o tamanho dos tumores humanos implantados nos ratinhos e se havia alterações na formação de novos vasos sanguíneos. O volume do tumor foi avaliado semanalmente.
 

O estudo apurou que os ratinhos submetidos ao tratamento não tiveram qualquer perda de peso e letargia. Foi também verificado que estes animais tinham tumores significativamente mais pequenos e tinham também menos crescimento vascular comparativamente com aqueles presentes no grupo de controlo. Estes achados foram replicados em experiências in vitro.
 

Os resultados deste estudo sugerem que a melatonina pode funcionar como agente terapêutico do cancro da mama. Os autores do estudo referem que, no entanto, esta investigação ainda está nos seus estádios iniciais e que são necessários mais estudos antes de esta terapêutica poder ser utilizada em pacientes.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.