Cancro da mama: identificado novo mecanismo molecular

Estudo publicado no ”PLoS Biology”

21 novembro 2011
  |  Partilhar:

Investigadores identificaram um novo mecanismo molecular associado ao desenvolvimento do cancro da mama, dá conta um estudo publicado no ”PLoS Biology”.
 

Aproximadamente 10% dos cancros da mama ocorrem devido a mutações nos genes, BRCA1 e BRCA2. Contudo, ainda não era conhecido o mecanismo molecular responsável pela alteração destes genes. Neste estudo uma equipa de investigadores internacional, do Instituto de Investigación Biomédica de Bellvitge, do Instituto Catalán de Oncología, Espanha e do Child and Family Research Institute, no Canadá descobriram que havia uma interacção crucial entre a BRCA1 e uma outra proteína a RHAMM, codificada pelo gene HMMR. Estas duas proteínas actuam num mecanismo molecular, até agora desconhecido, que regula a polaridade das células epiteliais.
 

O estudo revelou que o BRCA1 e a RHAMM controlam o normal desenvolvimento das células epiteliais. Se um ou os dois genes mutar, o normal desenvolvimento e arquitectura das células da mama é alterado e consequentemente o risco de desenvolvimento deste tipo de cancro aumenta.
 

Em comunicado enviado à imprensa o líder do estudo, Miquel Ángel Pujana, revelou que “os indivíduos que têm mutações no BRCA1 estão sob maior risco de cancro da mama, mas estas mutações apresentam uma penetrância variável, que pode ser em parte explicada por outros factores genéticos como a variante HMMR, agora identificada.
 

Os investigadores descobriram, inicialmente, o efeito do HMMR através da análise genética das famílias afectadas. Seguidamente foram analisar o papel destes genes nas células da mama e os seus efeitos quando estes estão mutados ou não funcionais. Foi descoberto que a RHAMM e BRCA1 interagem com proteínas conhecidas por controlar aspectos chave na polaridade das células e no ciclo de divisão celular, explicando talvez porque é que certos tipos de cancro da mama têm morfologia e proliferação celular característica.
 

A investigação de variantes genéticas tem por objectivo o desenvolvimento de modelos genéticos mais precisos que podem ajudar a prever o risco de cancro da mama para as mulheres que têm mutações no BRCA1 e BRCA2, ajudando assim a adoptar medidas preventivas mais apropriadas.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.    
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.