Cancro da mama em homens é detectado tardiamente

Estudo apresentado na conferência da Sociedade Europeia de Oncologia

24 julho 2008
  |  Partilhar:

O cancro da mama nos homens é diagnosticado demasiado tarde, dificultando o sucesso do tratamento, alerta um estudo italiano, apresentado recentemente na conferência da Sociedade Europeia de Oncologia, em Lugano, Suíça.
 

 

O estudo acompanhou 146 homens, com uma média etária de 62 anos, a quem foi diagnosticado cancro da mama entre 1990 e 2007 e descobriu que a doença já tinha atingido um estado avançado quando foi descoberta. Em metade dos casos já tinha atingido o sistema linfático, o que significa uma maior probabilidade de se espalhar a outras partes do corpo.
 

 

Quanto às características dos tumores, os investigadores descobriram que 73% eram "hormono-dependentes", ou seja, o seu crescimento era influenciado tanto pelo estrogénio como pela progesterona (duas hormonas femininas) - "uma percentagem mais elevada do que nas mulheres".
 

 

No estudo, liderado pela investigadora italiana Marina Garassino, cinco anos depois, a taxa de sobrevivência era de 80% para os homens em que a doença tinha sido detectada numa fase mais precoce e de quase metade para aqueles que tinham sido diagnosticados mais tarde.
 

 

Fontes: DN e Imprensa Internacional
 

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.