Cancro da mama e o efeito preventivo do tamixofeno ao longo de 20 anos

Estudo publicado na revista “The Lancet Oncology”

17 dezembro 2014
  |  Partilhar:

O efeito preventivo da toma do tamixofeno para o cancro da mama mantem-se constante pelo menos durante 20 anos, com uma taxa de redução do risco que ronda os 30%, dá conta um estudo publicado na “The Lancet Oncology”.
 

Neste estudo, liderado pelos investigadores da Universidade de Londres, no Reino Unido, foram analisados os riscos e os benefícios da toma de tamoxifeno na prevenção do cancro da mama em mulheres com elevado risco de desenvolvimento da doença.
 

O estudo incluiu 7.154 mulheres em idade pré e pós-menopausa que tomaram 20mg diárias de tamoxifeno ou um placebo, ao longo de cinco anos. Após o tratamento as participantes foram acompanhadas durante uma média de 16 anos, tendo-se prolongado no máximo até aos 22 anos.
 

O estudo apurou que 251 mulheres incluídas no grupo do tamoxifeno desenvolveram cancro da mama, comparativamente com as 350 mulheres do grupo placebo, o que se traduz numa redução de cerca de 29%. Comparando apenas os casos de cancro invasivo da mama positivos para o recetor do estrogénio (um tipo de cancro que representa cerca de dois terços do total dos casos), a redução do risco ascendeu aos 35%. Assim após 20 anos de acompanhamento, o risco estimado de desenvolvimento de cancro da mama foi de 8% para as mulheres tratadas com tamoxifeno e de 12 % para as incluídas no grupo de controlo.
 

“O tamoxifeno é um tratamento já bem estabelecido e eficaz contra determinados tipos de cancro da mama, mas agora temos evidências dos seus benefícios preventivos a longo prazo. O efeito preventivo do tamoxifeno é altamente significativo, com uma redução das taxas de cancro da mama de cerca de um terço, e este impacto manteve-se inalterado ao longo de 20 anos”, revelou, em comunicado de imprensa, o líder do estudo, Jack Cuzick.
 

O investigador acrescentou que espera que estes resultados estimulem mais mulheres, particularmente as mais jovens, a considerar opções de tratamento para a prevenção do cancro da mama, especialmente nos casos de terem antecedentes familiares da doença ou de apresentarem outros fatores de risco.
 

Jack Cuzick referiu ainda que a adoção de uma dieta saudável e aumento da atividade física podem ajudar na prevenção do cancro de mama, mas para as mulheres que se encontram em elevado risco, é necessária uma intervenção mais eficaz. É neste contexto que o tamoxifeno pode ter um papel a importante.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.