Cancro da mama: disseminação para o cérebro pode ser combatida

Estudo publicado na revista “Clinical Cancer Research”

07 agosto 2013
  |  Partilhar:

A combinação de duas terapias, celular e genética, já a ser testada em ensaios clínicos para o tratamento dos tumores cerebrais primários malignos poderá ser também eficaz no tratamento do cancro da mama que se dissemina para o cérebro, refere um estudo publicado na revista “Clinical Cancer Research”.
 

O cancro da mama é o tipo de cancro mais comum entre as mulheres, sendo as metástases a principal causa de deterioração da saúde e de morte devido a esta doença. O controlo das metástases é difícil uma vez que a barreira de sangue no cérebro impede que muitos fármacos anticancerígenos atinjam determinadas áreas do cérbero. Adicionalmente, as metástases têm tendência a surgir, simultaneamente, em múltiplas placas no cérebro dificultando assim o seu tratamento.
 

Neste estudo os investigadores da University of California Los Angeles, nos EUA, utilizaram a terapia celular, um tipo de imunoterapia que utiliza as células T (conhecidas por soldados do sistema imunológico) as quais foram sensibilizadas para eliminar as células cancerígenas. Estas células foram injetadas em zonas do cérebro onde o cancro se tinha disseminado. Foi verificado que estas se moveram ao longo do tecido cerebral tendo sido capazes de reconhecer e matar diretamente as células tumorais.
 

Adicionalmente, os investigadores também testaram a terapia genética, a qual envolve a utilização de um vírus que infeta as células cancerígenas. Após a infeção, o vírus insere um gene que torna as células cancerígenas suscetíveis à ação de um fármaco, o 5-flurocisteína, o qual é convertido na sua forma tóxica sendo assim capaz de eliminar as células cancerígenas.
 

Os autores do estudo revelaram que apesar de estas duas terapias serem, isoladamente, eficazes a sua combinação conduz a uma diminuição mais acentuada do tamanho dos tumores cerebrais metastáticos.  
 

O estudo, liderado por Carol Kruse, refere ainda que estas duas terapias estão a ser testadas individualmente em ensaios clínicos para os tumores cerebrais primários malignos, o que representa uma oportunidade única para a rápida transição desta tecnologia para o tratamento do cancro da mama e de outros tipos de cancro que formam metástases no cérebro.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.