Campanha quer erradicar aborto clandestino

Iniciativa da Associação para o Planeamento da Família

27 abril 2009
  |  Partilhar:

A Associação para o Planeamento da Família (APF) iniciou, na semana passada, uma campanha de esclarecimento sobre os direitos das mulheres em matéria de Interrupção Voluntária da Gravidez (IVG), de modo a “erradicar” o aborto clandestino em Portugal.

 

Um dos objectivos da campanha é divulgar a Opções, uma linha de ajuda e informação (707 2002 49) sobre gravidez não desejada, Interrupção Voluntária da Gravidez (IVG) e acompanhamento contraceptivo. A coordenadora da Linha Opções da APF, Elizabete Souto, adiantou à agência Lusa que muitas mulheres desconhecem como se inicia o processo de IVG, outras não sabem se este processo tem custos ou riscos, se é feito em ambulatório ou quanto tempo demora todo este processo.

 

A Linha Opções foi criada em 2006 e atende uma média de 60 a 70 chamadas por mês, tendo recebido 800 chamadas em 2006 e, no ano passado, 1.500.

 

Um inquérito realizado pela APF revelou que em 2005 teriam sido realizados cerca de 17 mil abortos clandestinos em Portugal. Dados da Direcção-Geral da Saúde (DGS) relativos a 2008 indicavam a realização de cerca de 18 mil IVG em Portugal. A lei da Interrupção Voluntária da Gravidez entrou em vigor em 17 de Abril de 2007.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.