Campanha de divulgação nacional sobre os riscos de interacção planta-medicamento

Projecto da Universidade de Coimbra

17 maio 2011
  |  Partilhar:

Tomar um medicamento e chá ou sumo poderá causar danos à saúde ou até levar à morte, e perante tais perigos a Universidade de Coimbra (UC) decidiu lançar uma campanha de informação aos cidadãos através de comunicação social.

 

O projecto, que em breve será calendarizado, vai decorrer durante dois anos, envolvendo meios de comunicação social escritos, radiofónicos e televisivos, a par de outras campanhas dirigidas a profissionais de saúde, e através de folhetos informativos para utentes de unidades de saúde. A campanha insere-se nas atribuições do Observatório de Interacções Planta-Medicamento, que entrou em funções há um mês. Tem como uma das principais atribuições estudar as interacções planta-medicamento mais frequentes e preocupantes que ocorrem em Portugal, de modo a ajudar a prevenir a sua ocorrência.

 

“Pretendemos capacitar os cidadãos para esta área científica de modo a evitar acidentes que decorrem da toma conjunta de medicamentos com plantas medicinais”, disse à agência Lusa, Maria da Graça Campos, professora da Faculdade de Farmácia da UC e responsável do projecto. Nos riscos dessa interacção com o medicamento – acrescenta - incluem-se os chás, sejam de hipericão, verde, de cidreira, entre outros. Ou até alimentos, sumos, fibras, ou outros produtos alimentares.

 

As campanhas informativas a desenvolver vão começar com os riscos inerentes aos suplementos para emagrecer e os que se tomam nos ginásios, enquanto uma outra dirige-se a doentes oncológicos, com os riscos da interacção desses medicamentos com as plantas. Outro dos temas a desenvolver tem como objectivo alertar os jovens sobre a interacção de contraceptivos orais, drogas e plantas naturais, que pode constituir “um 'cocktail' fatal”. Maria da Graça Campos revelou à agência Lusa que será concretizada ainda uma acção de informação dirigida à população polimedicada, nomeadamente diabéticos, hipertensos, doentes cardiovasculares e com colesterol elevado.

 

No final da campanha, que é financiada por fundos comunitários, será editado um CD-Rom e um livro, com a chancela da Imprensa da Universidade de Coimbra, reunindo os conteúdos produzidos.

 

A par disso, o Observatório de Interacções Planta-Medicamento (disponível em http://www.ff.uc.pt/oipm/home), utiliza o seu sítio na Internet para se dar a conhecer e relatar casos reais, divulgar alertas, e resultados dos vários projectos de investigação que tem em curso.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.