Câmara Municipal de Lisboa manda analisar dejectos caninos

Estudo está a cargo da Faculdade de Medicina Veterinária

13 maio 2009
  |  Partilhar:

A Faculdade de Medicina Veterinária, em cooperação com a Câmara Municipal de Lisboa, está a desenvolver um estudo baseado em amostras de dejectos caninos recolhidos em espaços públicos para avaliar o seu grau de contaminação parasitária.

 

A Faculdade de Medicina Veterinária concluiu que, em 2008, na Alameda D. Afonso Henriques, na zona envolvente da Igreja do Santo Condestável, dos Jardins de Belém e da Torre de Belém foram colhidas “amostras positivas de parasitas gastrointestinais potencialmente transmissíveis ao homem”.

 

De 2007 para 2008, a percentagem de amostras positivas triplicou, o que poderá estar relacionado com “um maior número de amostras pesquisadas ou com um aumento real de animais parasitados, fruto, provavelmente, de reinfecções frequentes ou de programas de controlo anti-parasitário pouco eficazes”, refere a autarquia em comunicado enviado à imprensa.

 

A Câmara Municipal de Lisboa diz-se preocupada com “o facto de os dejectos caninos constituírem, para além de uma das principais causas de sujidade dos passeios e jardins da cidade, um grave problema de saúde pública como consequência da contaminação dos solos”.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.