Cafeína em excesso pode interferir na fertilidade feminina

Estudo publicado no “British Journal of Pharmacology”

01 junho 2011
  |  Partilhar:

O consumo de cafeína em excesso, um estimulante conhecido, já demonstrou causar batimentos cardíacos irregulares (taquicardia), ansiedade, náusea e depressão. Agora, estudos recentes demonstram que o consumo de cafeína em excesso pode tornar mais difícil a concepção. O estudo foi publicado no “British Journal of Pharmacology”.

 

Ao analisar as trompas de Falópio, em ratinhos, os investigadores verificaram que a cafeína interfere com as contracções musculares que ajudam o óvulo a percorrer as trompas de Falópio até ao útero, processo fundamental para uma gravidez bem sucedida.

 

"As nossas experiências foram realizadas em ratos, mas esse resultado é um grande avanço para explicar porque o consumo de bebidas com cafeína pode reduzir a probabilidade de uma mulher engravidar", disse Sean Ward, professor da Faculdade de Medicina, Universidade de Nevada, EUA, em comunicado de imprensa da revista, acrescentando que “isto fornece uma explicação curiosa, porque as mulheres com elevado consumo de cafeína, muitas vezes demoram mais em engravidar do que as mulheres que não consomem ".

 

A cafeína encontra-se no café, chá, refrigerantes do tipo cola, chocolate e certos fármacos.

 

Os cientistas assinalaram que as conclusões do estudo poderiam melhorar a compreensão e tratamento da infertilidade, assim como algumas das complicações da gravidez.

 

Anteriormente, pensava-se que os óvulos moviam-se pelas trompas de Falópio com a ajuda de projecções semelhantes a pêlos chamados cílios, mas este estudo sugere que células especializadas com actividade pacemaker coordenam as contracções que empurram os óvulos através das trompas. "Além de ajudar as mulheres que estão a ter dificuldade em engravidar, uma melhor compreensão da maneira pela qual as trompas de Falópio funcionam vai ajudar os médicos a tratar a doença inflamatória pélvica e doenças sexualmente transmissíveis, com mais sucesso", aponta Ward, acrescentando que “também pode melhorar a nossa (dos médicos) compreensão das causas da gravidez ectópica, uma condição muito dolorosa e potencialmente fatal em que os embriões se desenvolvem dentro das trompas de Falópio”.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 2Média: 4.5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.