Café reduz risco de cancro da próstata

Estudo publicado no “Journal of the National Cancer Institute”

24 maio 2011
  |  Partilhar:

Os homens que bebem café, pelo menos seis ou mais chávenas por dia, podem reduzir o risco de cancro da próstata avançado em 60%, aponta um estudo publicado no “Journal of the National Cancer Institute”.

 

No entanto, trata-se apenas de um estudo clínico e não deve fazê-lo sem consultar o seu médico.

 

Trata-se do primeiro grande estudo a analisar especificamente a relação entre o consumo de café e cancro da próstata metastático, disse, em comunicado de imprensa, Kathryn Wilson, líder da investigação da Faculdade de Saúde Pública de Harvard, em Boston, EUA, acrescentando que "esta é uma descoberta animadora, porque não existem muitos factores de risco modificáveis para o cancro da próstata."

 

Contudo, está longe de se demonstrar uma clara relação de causa e efeito, comentam os especialistas, e não está claro de que forma o café pode ajudar a prevenir o cancro da próstata. "O café contém muitos compostos que possuem vários efeitos biológicos. É uma fonte importante de antioxidantes e pode, por isso, ter efeitos anticancerígenos", explicou a especialista, acrescentando que "além disso, o café parece ter efeitos sobre a insulina e tem sido associado a um menor risco de diabetes tipo 2 - considera-se que insulina desempenha um papel em muitos tumores, incluindo o cancro da próstata."

 

Segundo o estudo, os compostos do café também têm um impacto sobre os níveis das hormonas sexuais.

 

Para o estudo, a equipa de investigadores recolheu dados de quase 48 mil homens que participaram do estudo de acompanhamento dos profissionais de saúde (Health Professionals Follow-Up Study), os quais foram acompanhados até 2008. A partir de 1986, e de quatro em quatro anos, os homens relatavam a quantidade de café que bebiam.

 

Posteriormente, os investigadores calcularam o risco de cancro da próstata associado com a quantidade de café consumido. Durante o período do estudo, foram identificados 5,035 casos de cancro da próstata. Destes, 642 foram casos fatais, dado que estavam metastizados, ou seja, o tumor tinha-se propagado a outras áreas do organismo.

 

Entretanto, da análise dos dados, a equipa de Harvard descobriu que o consumo de seis ou mais chávenas de café por dia estava associado a um risco quase 20% menor de desenvolver cancro da próstata, em comparação com os homens que não bebiam café. Além disso, as probabilidades de desenvolverem um cancro da próstata mais avançado ou mortal foram reduzidas em 60%, em comparação com os homens que se abstiveram de beber café - um risco relativo significativo do ponto de vista estatístico e "substancialmente menor ", disseram os investigadores.

 

Mesmo os homens que bebiam menos café – entre uma a três chávenas por dia - tinham um risco de desenvolver cancro da próstata mortal 30% mais baixo e a redução do risco foi observada, independentemente de os homens beberem café descafeinado ou com cafeína. Depois de terem em conta outros factores de estilo de vida, tais como idade, tabagismo, obesidade e exercício, mantiveram-se reduzidas as probabilidades de desenvolver este tipo de cancro.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.