Café reduz risco de cancro da orofaringe

Estudo publicado no “American Journal of Epidemiology”

14 dezembro 2012
  |  Partilhar:

A ingestão de mais de quatro chávenas de café por dia reduz o risco de morte por cancro orofaríngeo para metade, sugere um estudo publicado no “American Journal of Epidemiology”.
 

O cancro da boca e faringe é raramente diagnosticado nos estadios  iniciais, pois os sintomas apenas aparecem num estado mais avançado da doença. Adicionalmente, os sintomas podem ser confundidos com dores de dentes. Contudo, este tipo de cancro pode ser detetado precocemente através de um exame de rotina realizado pode um especialista em medicina dentária. Deste modo, os profissionais de saúde aconselham a observação da cavidade oral, pelo menos uma vez por mês. Os sintomas mais comuns deste tipo de cancro são feridas de demorada cicatrização ou dor persistente.
 

O estudo refere que os fatores risco associados ao desenvolvimento do cancro orofaríngeo incluem o tabagismo e o consumo de bebidas alcoólicas. A infeção pelo vírus do papiloma humano é também considerada um fator de risco desta doença. Na verdade, o número de casos de cancro associados a esta infeção tem aumentado bastante nos últimos 30 anos.
 

Estudos anteriores já tinham sugerido que o consumo de café poderia estar associado a uma redução do risco de cancro da boca e garganta. Também foi sugerido que este efeito não era resultante da cafeína presente no café, mas da presença de antioxidantes, polifenóis e outros compostos que ajudam a prevenir ou a abrandar o desenvolvimento de cancro.
 

Neste estudo, os investigadores da American Cancer Society, nos EUA, analisaram o estilo de vida e dados clínicos de 968.432 indivíduos, incluindo o seu consumo de chá e café. No início do estudo, em 1992, todos os participantes eram saudáveis. Contudo, após os 26 anos de período de acompanhamento, foi verificado que o cancro orofaríngeo tinha provocado a morte de 868 participantes.
 

Após terem analisado o consumo de chá e café dos participantes, os investigadores constataram que em comparação com aqueles que não bebiam café ou que bebiam esporadicamente, os participantes que bebiam mais de quatro chávenas por dia tinham um risco 49% menor de morte por cancro orofaríngeo. Foi constatado que esta associação não era afetada pelo género, consumo de álcool ou tabaco.
 

O estudo apurou que o consumo de café descafeinado diminuía insignificativamente o desenvolvimento deste tipo de cancro e o chá não afetava de todo a sua ocorrência.
 

Apesar dos resultados encontrados, os investigadores referem que são necessários mais estudos para confirma-los. Por outro lado, referem ainda que não recomendam a ingestão de quatro cafés por dia. Estas são apenas boas notícias para os amantes de café.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.