Café pode aumentar sobrevivência ao cancro do colon

Estudo publicado no “Journal of Clinical Oncology”

21 agosto 2015
  |  Partilhar:
O consumo regular de café com cafeína pode ajudar a impedir a recorrência do cancro do colon após tratamento e melhorar a possibilidade de cura, defende um estudo publicado no “Journal of Clinical Oncology”.
 
Para o estudo, os investigadores do Instituto do Cancro em Dana-Farber, nos EUA, contaram com a participação de 953 pacientes com cancro do colon em estadio III. Os pacientes foram convidados a preencher, ao longo do estudo e seis meses após o tratamento quimioterápico, um questionário sobre o seu padrão dietético.
 
O estudo apurou que os pacientes que bebiam quatro ou mais chávenas de café por dia, cerca de 460 miligramas de cafeína, tinham um risco 42% menor de recidiva comparativamente com aqueles que não bebiam café. Estes pacientes apresentavam também um risco 33% menor de morrerem por cancro ou por qualquer outra causa durante o período de acompanhamento.
 
O consumo de duas ou três chávenas de café por dia teve um efeito mais modesto, tendo-se verificado pouca proteção através da ingestão de uma ou menos chávenas de café por dia. Os investigadores constataram que o menor risco de recidiva e morte foi devido unicamente à cafeína e não a outros componentes presentes no café. 
 
“Verificámos que os consumidores de café apresentavam um menor risco de recidiva e uma sobrevivência e possibilidade de cura significativamente maiores”, revelou, em comunicado de imprensa, o líder do estudo, Charles Fuchs.
 
A maioria das recidivas ocorrem nos cinco anos de tratamento e são pouco comuns após esta fase. Nos pacientes com cancro em estadio III, o cancro foi encontrado nos nódulos linfáticos perto do tumor original, mas não havia sinais de metástase. De acordo com o investigador, estes pacientes têm um risco de cerca de 35% de recidiva.
 
Apesar de o mecanismo responsável por esta associação ainda não estar perfeitamente compreendido, os investigadores sugerem que o consumo de cafeína aumenta a sensibilidade à insulina. Isto significa que como o organismo necessita de menos insulina reduz potencialmente a inflamação, que é um fator de risco conhecido do cancro e da diabetes. 
 
Uma vez que este é um estudo observacional, os investigadores estão um pouco reticentes em fazer recomendações sobre o consumo de café até estes resultados serem validados em investigações futuras.
 
“Se é um consumidor habitual de café e está a ser tratado para o cancro do colon não deixe de o consumir. Mas se não costuma beber café é melhor falar com o seu médico antes de o começar a fazer”, conclui Charles Fuchs.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.