BSE não atinge as pessoas por igual

Indivíduos com determinada estrutura genética protegidas da doença

17 novembro 2004
  |  Partilhar:

A estrutura genética de algumas pessoas pode protegê-las da versão humana da doença das vacas loucas, concluiu um estudo publicado na revista Science.A investigação realizada por peritos do Colégio Universitário de Londres mostrou que a doença se manifesta de formas diferentes em várias pessoas infectadas. As experiências realizadas em ratos expostos ao prião que causa a doença das vacas loucas ou BSE (encefalopatia espongiforme bovina) revelaram que os animais que têm certas versões de genes humanos desenvolvem a doença de maneira diferente.No caso de ratos que têm uma versão genética identificada como PrP M129, os animais podiam contrair a doença, mas os seus sintomas eram totalmente diferentes. Os ratos com a versão genética V129 resistiram à doença.Segundo alguns médicos, se for possível entender como funciona a forma V129 o seu processo poderá aplicar-se como forma terapêutica. Na Grã-Bretanha, onde surgiu a BSE em 1980, mais de 140 pessoas morreram vítimas da versão humana da doença. Em Portugal as autoridades de saúde não detectaram ainda qualquer pessoa com a doença.Fonte: Lusa

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.