Braquiterapia eficaz em dois tipos de cancro de pele

Apresentação no encontro anual na Sociedade de Radiologia Norte Americana

09 dezembro 2019
  |  Partilhar:
Um estudo mostra que a braquiterapia foi eficaz contra os cancros de pele carcinoma de células escamosas (CCE) e carcinoma basocelular (CB) em idosos.
 
O carcinoma de células escamosas e o carcinoma basocelular são os mais comuns tipos de cancro de pele. Apesar de altamente curáveis e menos perigosos que o melanoma, podem desfigurar e ser difíceis de tratar. Os tratamentos incluem remoção por cirurgia e radiação.
 
Se a área afetada for a ponta do nariz, a orelha ou a pálpebra, serão necessárias múltiplas cirurgias e enxertos. Contudo, a braquiterapia oferece uma dose de radiação precisa às células cancerígenas e os tratamentos são muito menos demorados, com sessões de 2 a 3 minutos.
 
Para o presente estudo, os radiologistas usaram braquiterapia de elevada dose para tratar pacientes entre os 70 e os 100 anos, com os dois carcinomas em fase inicial, num total de 81 lesões (53 CCE e 28 CB) no nariz, face, testa, escalpe, orelhas, pescoço e pernas.
 
Os pacientes foram depois seguidos durante uma média de dois anos e mostraram uma percentagem de cura de 96% para o CCE e 98% para o CB. “Em 90% dos casos o resultado estético foi excelente”, revela Ashwatha Narayana, diretor do Departamento de Radiação Oncológica do Northern Westchester Hospital, em Mount Kisco, Nova Iorque.
 
Apesar de ser bastante usada noutros cancros, a braquiterapia não tem tido aceitação no tratamento dos cancros de pele não melanomas, pelo que os investigadores esperam que este estudo aumente a utilização.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Comentários 0 Comentar