Bolsas do Fundo para a Investigação em Saúde

Dados do Infarmed

19 novembro 2015
  |  Partilhar:
Bolsas do Fundo para a Investigação em Saúde, no valor de um milhão de euros, vão ser concedidas a três projetos na área da oncologia e outros três sobre as doenças cérebro-cardiovasculares, de acordo com o Infarmed.
 
De acordo com a notícia avançada pela agência Lusa, as áreas da investigação clínica, básica e translacional e a saúde pública e serviços de saúde são as abrangidas pelo Fundo, ao qual chegaram 156 candidaturas, tendo 106 cumprido os critérios do regulamento.
 
As doenças oncológicas motivaram o maior número de candidaturas, seguindo-se as doenças cérebro-cardiovasculares e diabetes. No total estão envolvidos nos projetos propostos 653 investigadores de 500 instituições.
 
Na área da oncologia, vai receber uma bolsa a investigação do Instituto de Medicina Molecular (IMM) e do Hospital Santa Maria, em Lisboa, sobre o “papel de microRNAs na modulação da diferenciação funcional de linfócitos T gama-delta anti tumorais”. O estudo tem como objetivo “identificar alvos moleculares importantes para a conceção de novos protocolos clínicos na imunoterapia contra o cancro”.
 
O estudo sobre a “deteção de mutações somáticas no plasma de doentes com cancro do pulmão”, da autoria de uma equipa do Ipatimup, Hospital de São João, Porto também foi um dos comtemplados. “O objetivo desta proposta é demonstrar que é possível utilizar amostras de sangue periférico (biópsia líquida) como alternativa às biópsias tumorais para a identificação de alterações somáticas do cancro, quer aquando do diagnóstico quer durante a progressão da doença”. 
 
Uma outra investigação da autoria de uma equipa da Universidade de Coimbra, Cell2B, Instituto Karolinska, Universidade de Aveiro, Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra também vai ser financiado. Este projeto pretende desenvolver uma terapêutica anti-inflamatória capaz de atingir dois alvos simultaneamente: o tumor e o seu microambiente”.
 
Na área das doenças cérebro-cardiovasculares, foi escolhida uma investigação sobre as “NanoTerapias Neuroprotetoras avançadas para o tratamento de acidentes vasculares cerebrais”, que inclui investigadores do INEB, Centro Hospitalar do Porto, Universidade de Santiago de Compostela, Centro de Neurociências e Biologia Celular (CNBC/UC).
 
“A nanoterapia avançada aqui proposta tem como aplicação principal o tratamento de Acidente Vasculares Cerebrais (ACV), mas tem o potencial de ser aplicada a outras estratégias de neuroprotecção após lesão do SNC [Sistema Nervoso Central]”.
 
Uma equipa do IMM e do Hospital de Santa Maria vai ser financiada para desenvolver uma investigação sobre a “imagem cardíaca no acidente vascular cerebral de causa indeterminada”.
 
Os investigadores do INEB, Centro Hospitalar de São João, Institute for Biomedical Imaging and Life Sciences e IMM vão receber uma bolsa do fundo para o projeto “microRNAs como biomarcadores/alvos terapêuticos para identificar/reverter a fibrose cardíaca”.
 
“Esta abordagem direcionada permitirá validar o potencial de miRNA como uma ferramenta alternativa na deteção da fibrose do miocárdio em doentes com enfarte agudo do miocárdio (EAM) e servirá de suporte para futura análise transversal destes marcadores noutras patologias cardíacas”.
 
Em relação à diabetes, os projetos vencedores deverão ser conhecidos até ao final de 2015.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.