Bloqueio da resposta imune pode ajudar no tratamento da doença de Alzheimer

Estudo publicado na “Nature”

26 dezembro 2012
  |  Partilhar:

Investigadores alemães descobriram que o complexo proteico NLRP3 é um fator essencial para o desenvolvimento da doença de Alzheimer, revela um estudo publicado na “Nature”.

 
O complexo proteico denominado inflamassoma NLRP3 é composto por várias proteínas e desempenha um papel importante no sistema imunitário. Este composto comporta-se como um sensor de alarme de incêndio que despoleta uma reação em cadeia quando ativado, o que resulta na mobilização das células do sistema imunitário e na produção de substâncias promotoras da inflamação. Este processo pode ser desencadeado por infeções, que são posteriormente suprimidas pela resposta imune. Contudo, no caso da doença de Alzheimer a ativação do inflamassoma pode causar morte das células nervosas, o que resulta na perda da função cerebral e capacidade cognitiva.
 
A doença de Alzheimer é acompanhada pela acumulação de placas no cérebro, as quais têm capacidade de ativar o inflamassoma NLRP3. Neste estudo, os investigadores do Centro Alemão para as Doenças Neurodegenerativas e da Universidade de Bona, na Alemanha, decidiram a analisar qual o impacto da ativação aumentada do inflamassoma NLRP3 no cérebro. 
 
Após terem analisado o cérebro de pacientes com Alzheimer e o de ratinhos que apresentavam comportamentos tipicamente associados a esta doença neurológica, os investigadores descobriram que o inflamassoma estava ativo tanto nos humanos como nos animais.  
 
Posteriormente, os autores do estudo tentaram inibir as reações inflamatórias através da inativação dos genes envolvidos na ativação da produção do inflamassoma nos ratinhos. Deste modo, os animais deixavam de ser capazes de sintetizar este complexo proteico. Foi observado que os animais apenas desenvolveram sintomas moderados da doença. 
 
De acordo com os autores do estudo, estes resultados parecem bastante promissores, podendo resultar no desenvolvimento de fármacos capazes de inibir a atividade do complexo proteico e, consequentemente, tratar a doença de Alzheimer.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.  
Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.