Bloco operatório do Hospital de Lagos pode não reabrir

ARS admite situação, mas decisão final só em Outubro

26 agosto 2004
  |  Partilhar:

 A Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve admitiu esta semana que o bloco operatório do Hospital de Lagos, encerrado desde 30 de Março, poderá não reabrir, adiantando que a decisão deverá estar tomada em Outubro.Em declarações à Lusa, a presidente daquela ARS, Assunção Martinez, remeteu a decisão final para o período posterior à tomada de posse do Conselho de Administração do recém criado Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio.«A decisão [de reabrir ou não] compete ao futuro Conselho de Administração e à ARS. Todas as hipóteses serão analisadas à luz dos recursos humanos e tecnológicos de que dispomos», disse Assunção Martinez, sublinhando que «tudo [a abertura ou não da unidade] está em aberto».Publicado segunda-feira, o diploma que cria o Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio entra legalmente em vigor dia 28, esperando-se que o seu Conselho de Administração - que vai gerir o Hospital do Barlavento Algarvio, em Portimão, e o Hospital de Lagos - tome posse nos 15 dias seguintes. «Em Outubro já esse assunto deverá estar decidido», disse.Em declarações à Lusa, o presidente da Câmara de Lagos, Júlio Barroso, lamentou o encerramento prolongado da unidade e a falta de resposta da ARS às várias solicitações do município para que a reabertura se faça urgentemente.O encerramento foi decidido pelo Ministério da Saúde no início de Abril, após uma mulher de 44 anos e um homem de 35 terem morrido devido a paragem cardio-respiratória no bloco cirúrgico daquela unidade hospitalar, onde se encontravam para efectuar operações consideradas simples. A médica anestesista responsável pelas cirurgias também viria a ser suspensa preventivamente na sequência das duas mortes, mas já foi reintegrada no hospital.Ainda não há decisão definitiva sobre as eventuais sanções a aplicar à anestesista ou ao director do Hospital, aguardando a Inspecção-Geral de Saúde a resposta às notas de culpa que lhes foram enviadas.Fonte: Lusa 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.