Biodiversidade amazónica poderá contribuir para o tratamento de doenças tropicais

Estudo realizado pela Universidade de São Paulo

14 julho 2009
  |  Partilhar:

Um estudo de potenciais fármacos para tratamento de doenças tropicais, elaborados a partir de compostos da biodiversidade amazónica, está a ser levado a cabo por investigadores brasileiros da Universidade de São Paulo.

 

Adriano Andricopulo, professor do Instituto de Física da Universidade de São Paulo (USP) nomeado para dirigir a área de Química Medicinal e Planejamento de Fármacos do novo Centro de Referência Mundial em Química Medicinal para a Doença de Chagas, recentemente criado no Brasil pela Organização Mundial de Saúde, revelou à agência Lusa que “é na biodiversidade extremamente rica com fontes de recursos naturais, plantas e organismos que há substâncias químicas que podem ser estudadas e relacionadas às doenças negligenciadas, como a doença de Chagas e a malária”.

 

“Essas doenças afectam um número significativo de pessoas e o seu arsenal terapêutico é insuficiente”, alertou Adriano Andricopulo, que salientou a urgência da produção de tratamentos alternativos para as cerca de 100 milhões de pessoas que fazem parte da população vulnerável que corre o risco de ser infectada por estes patogénios.

 

No entanto, apesar dos resultados promissores, “as pesquisas estão bem avançadas, mas levam um certo tempo”, referiu o cientista. A estimativa é de um único medicamento demorar cerca de 12 a 15 anos para chegar ao mercado farmacêutico.

 

A castanha de caju é um exemplo de uma matéria-prima que poderá ser utilizada para um potencial fármaco para a doença de Chagas: na casca extraída do caju descobriu-se uma enzima capaz de inibir o agente causador desta doença.

 

Na opinião de Adriano Andricopulo, a utilização de recursos naturais é ainda um grande desafio e são necessários mais estudos para descobrir moléculas que possam ser utilizadas no tratamento de doenças tropicais e, quem sabe, até do cancro.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.