Bebidas açucaradas aumentam risco de hiperatividade

Estudo publicado na revista “Academic Pediatrics”

12 fevereiro 2015
  |  Partilhar:

As crianças que consomem elevadas quantidades de bebidas energéticas açucaradas apresentam um risco 66% maior de sintomas de hiperatividade e falta de atenção, sugere um estudo publicado na revista “Academic Pediatrics”.
 

De acordo com os investigadores da Escola de Saúde Pública de Yale, nos EUA, estes achados têm implicações no sucesso escolar e apoiam as recomendações já existentes para limitar o consumo de bebidas açucaradas pelas crianças. Os autores recomendam ainda que as bebidas energéticas sejam evitadas, pois, para além do elevado teor de açúcar, estas também costumam conter cafeína.
 

Para o estudo, os investigadores, liderados por Jeannette Ickovics, contaram com a participação de 1.649 crianças do segundo e terceiro ciclo que tinham uma média de 12,4 anos. Verificou-se que os rapazes eram mais propensos a consumir bebidas energéticas do que as raparigas.
 

O estudo apurou que o risco de hiperatividade e falta de concentração aumentava de acordo com a quantidade de bebidas açucaradas ingeridas.
 

“Os nossos resultados apoiam as recomendações da Academia Americana de Pediatria que referem que os pais devem limitar o consumo de bebidas açucaradas e que as crianças não devem ingerir de todo bebidas energéticas”, revelou, em comunicado de imprensa, Jeannette Ickovics.
 

Apesar de serem necessários mais estudos para compreender melhor os efeitos e mecanismos que associam as bebidas açucaradas à hiperatividade, estudos anteriores demonstraram que havia uma correlação forte entre as crianças com distúrbios do défice de atenção e hiperatividade e um rendimento escolar baixo, maior dificuldade de relacionamento com os seus pares e aumento de suscetibilidade a lesões.
 

Algumas das bebidas açucaradas e energéticas mais populares entre os alunos contêm até 40 gramas de açúcar. Os alunos incluídos neste estudo consumiram, em média, duas bebidas açucaradas por dia. De acordo com os especialistas em saúde, as crianças deveriam consumir no máximo 21 a 33 gramas de açúcar por dia, dependendo da idade.
 

Os investigadores referem ainda que, para além da hiperatividade e falta de atenção, as bebidas açucaradas têm também um grande impacto na obesidade infantil e são a causa principal de calorias extra nas dietas das crianças obesas.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.