Bebés têm barreira antibiótica natural

Pele de recém-nascido é mais resistente do que pensa...

06 janeiro 2004
  |  Partilhar:

Olhar para um recém-nascido dá-nos sempre a sensação de absoluta fragilidade. Mas apesar de toda a fragilidade, o bebé é mais resistente do que aparenta. No que diz respeito à pele, por exemplo, os pequeninos são mais fortes do que parecem.
 

É que, segundo refere um estudo publicado pelo «British Journal of Dermatology», a pele do bebé tem uma barreira de defesa, formada por antibióticos peptídeos - são compostos resultantes de união entre dois ou mais aminoácidos que impedem grandes variações de pH- , que protegem os bebés de infecções nos primeiros momentos de vida.
 

A barreira está presente na pele de todos os bebés, assim como no verniz caseoso – uma substância de gordura esbranquiçada que os envolve no útero, ainda de acordo com os autores do estudo.
 

Esses antibióticos naturais parecem ser activados por um rash cutâneo comum em crianças, o eritema tóxico - manchas avermelhadas com aspecto de uma picada de insecto -, cujas causas ainda são pouco conhecidas.
 

Os antibióticos peptídeos são parte da protecção da superfície do corpo contra invasores microbianos. E agem como uma primeira linha de defesa que é separada do sistema imunitário.
 

Embora também sejam encontrados na pele dos adultos, pouco se sabia até agora sobre a sua presença em crianças pequenas. As descobertas sugerem, no entanto, que têm um papel vital na protecção dos bebés durante a transição entre o ambiente estéril do útero e o mundo cheio de micróbios.
 

Para ver se os antibióticos estavam presentes nos recém-nascidos, os investigadores estudaram quatro bebés que desenvolveram eritema tóxico horas depois de terem nascido. E compararam-nos com outros quatro bebés que não tiveram o problema cutâneo.
 

Os especialistas avaliaram amostras de tecido de pele para ver se podiam localizar sinais de dois antibióticos peptídeos em particular - chamados LL-37 e HBD-1.
 

Os resultados mostraram que nos quatro bebés com eritema havia uma alta concentração de células produzindo o peptídeo LL-37. Ao invés, nas crianças sem o problema não apresentaram essas células. Provas semelhantes foram encontradas a respeito do HBD-1. Uma análise separada do verniz caseoso de seis bebés saudáveis nascidos de cesariana mostrou que as amostras continham o LL-37.
 

Os investigadores do Instituto Karolinska, da Suécia, concluíram que recém-nascido vem equipado com um sistema de defesa anti-microbiano da pele que é muito mais do que apenas uma barreira mecânica.
 

Traduzido e adaptado por:
 

Paula Pedro Martins
 

Jornalista
 

MNI-Médicos Na Internet
 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.