Bebés sobreviventes a abortos sem cuidados neonatais

Reportagem do Sunday Times incendeia debate em Inglaterra

29 junho 2004
  |  Partilhar:

   Deverão as crianças nascidas depois de abortos mal feitos receber os mesmos cuidados do que os bebés nascidos prematuramente? A questão surge na Inglaterra, após a descoberta pelo «The Sunday Times» de, pelo menos, seis casos de bebés que morreram por falta de tratamento médico, depois de abortos mal realizados. Médicos e obstretas ingleses admitem que os abortos mal feitos são frequentemente escondidos. Segundo os testemunhos citados, os bebés, que nascem com poucas hipóteses de sobrevivência, são simplesmente mantidos quentes e alimentados e que, ao contrário das crianças nascidas prematuramente, não recebem cuidados médicos para os manter vivos. Uma obstreta de um hospital inglês escreveu o ano passado no seu diário: «Havia um procedimento usual (não escrito) no hospital que dizia que estes bebés não recebiam assistência [médica]». A obstreta, que preferiu não se identificar ao jornal inglês, diz ter testemunhado um bebé com 23 semanas de gestação com o Síndrome de Down a respirar e a mexer-se durante mais de três horas após o aborto. Estas práticas vão ser debatidas na conferência anual da British Medical Association (BMA), esta quinta-feira, dia 1 de Julho. Fonte: Público

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.