Bebés amamentados têm menos febre após a vacinação

Estudo publicado na revista “Pediatrics”

31 maio 2010
  |  Partilhar:

A amamentação protege os bebés da febre decorrente da vacinação, revela um estudo italiano publicado na revista “Pediatrics”.

 

Após a administração de uma vacina é comum a manifestação de sintomas leves de doença, tais como febre ligeira, perda de apetite e dor ou inflamação no local onde foi aplicada a vacina. Os bebés que recebem as vacinas durante o primeiro ano de vida apresentam sintomas leves e passageiros após a inoculação, mas entre 1 a 2% têm febre alta.

 

Neste estudo, liderado por Alfredo Pisacane, da Universidade Federico II, em Nápoles, Itália, os cientistas verificaram que os bebés alimentados com leite materno respondem à vacinação de forma diferente dos alimentados com leite em pó.

 

Para aferir uma possível relação, os cientistas solicitaram a 450 mães para que medissem a febre dos seus bebés durante vários dias depois da vacinação. Após a primeira ou a segunda doses das combinações de vacinas (contra a difteria, o tétano, a tosse convulsa, a hepatite B, a poliomielite, a Haemophilus influenzae tipo B -Hib- e a infecção pneumocócica), as mães mediram a temperatura rectal dos seus bebés nessa mesma tarde e durante os três subsequentes.

 

Do total dos bebés, 120 eram exclusivamente amamentados, 154 foram alimentados com leite materno e com biberão e 176 só com biberão.

 

No momento de receberem a primeira e a segunda vacinas, as crianças tinham, em média, entre 3 a 6 meses. As crianças do grupo amamentado apresentarem um risco de febre 54% menor do que as crianças do grupo alimentado com leite em pó. No caso das crianças em que a amamentação foi conjugada com o biberão, esse risco foi 42% menor do que o das crianças do grupo alimentado exclusivamente com leite em pó.

 

O efeito aparentemente benéfico da amamentação manteve-se após terem sido considerados factores como educação da mãe e número de filhos.

 

Segundo os cientistas, o leite materno tem a função antipirética dado que reduz a produção de proteínas inflamatórias que se libertam logo após a vacinação, mas o contacto com a pele da mãe também traz tranquilidade, fazendo com que os bebés, mesmo com febre, não percam tão facilmente o apetite.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.