Bebé recebe oito órgãos em transplante

Recorde na Medicina

22 março 2004
  |  Partilhar:

 Uma equipa médica americana conseguiu fazer um transplante de oito órgãos numa bebé de seis meses. Esta é, de facto, uma das maiores proezas médicas. O número de órgãos transplantados é recorde.Numa operação que durou 12 horas, a bebé italiana Alessia Di Matteo recebeu fígado, estômago, pâncreas, intestino grosso e delgado, baço e dois rins. Ao todo, oito órgãos. Alessia tinha uma doença fatal do sistema digestivo em que os músculos dos órgãos fazem movimentos involuntários.A equipa, liderada pelo professor Andreas Tzakis, do hospital Jackson Memorial, em Miami, foi a responsável pelo transplante. O último recorde em transplantes foi de sete órgãos, também realizado por Tzakis, em 1997.Segundo o cirurgião, pelo menos um dos pacientes anteriores sobrevive há dez anos e outros continuam bem de saúde. «Quando essas crianças sobrevivem à cirurgia e reagem bem, podem viver perfeitamente bem», disse o médico à BBC.A doença de Alessia foi diagnosticada por ecografia quando ainda estava no útero materno. Mas, se não fosse tratada, a doença matá-la-ia. Segundo Tzakis, o primeiro ano será decisivo para a sobrevivência de Alessia, mas, por enquanto, encontra-se bem de saúde.  Aléssia continua em observação, mas deve voltar à Itália em três meses. Os órgãos doados pertenciam a um bebé de um ano. O transplante foi realizado a 31 de Janeiro, depois que Alessia foi transferida do hospital Gaslini, em Génova, mas o transplante só foi anunciado este fim-de-semana. «Sabíamos que a única maneira de salvar Alessia seria um transplante múltiplo de órgãos feito pelo professor Tzakis», disse um porta-voz do hospital ao jornal Daily Mirror. Em declarações à imprensa, o médico Steve Wigmore, cirurgião especializado em transplantes da Royal Infirmary, em Edimburgo (Escócia), foi cauteloso. «As pessoas que passam por transplantes múltiplos não têm um resultado particularmente bom», disse, acrescentando ter havido alguns sucessos surpreendentes. «Mas é preciso ser cauteloso em relação a quanto tempo a pessoa vai sobreviver». Segundo Wigmore, os transplantes múltiplos de órgãos começaram a ser feitos há apenas 15 anos.Traduzido e adaptado por:Paula Pedro MartinsJornalistaMNI-Médicos Na Internet

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.