Baixo peso à nascença relacionado com problemas respiratórios

Estudo publicado no "American Journal of Respiratory and Critical Care Medicine"

20 julho 2009
  |  Partilhar:

 Os bebés que nascem com baixo peso à nascença têm um risco aumentado de sofrerem de uma doença respiratória grave, a qual pode persistir durante a sua infância, adolescência e idade adulta, revela um estudo publicado no “American Journal of Respiratory and Critical Care Medicine”.

 

 Investigadores da Washington University, nos EUA, recolheram dados do Washington State Comprehensive Hospital e seleccionaram para o estudo os casos de hospitalização por doença respiratória de indivíduos com 18 anos. Posteriormente, foram recolhidos dados sobre o peso à nascença destes pacientes.

 

O estudo revelou que os indivíduos que nasceram com um peso muito baixo à nascença (menos de 1,5 kg) ou com um peso moderado (1,5 a 2,5 kg) tinham, respectivamente, um risco 83% e 34% maior de serem hospitalizados devido a problemas respiratórios. Aqueles que tinham um historial de baixo peso à nascença apresentavam o dobro do risco de serem hospitalizados devido a crises de asma ou infecções respiratórias e 2,6 vezes o risco de sofrerem uma insuficiência respiratória que exigisse ventilação mecânica.

 

Os investigadores constataram também que a associação entre o baixo peso à nascença e o risco de hospitalização por problemas respiratórios persistiu após o ajuste de algumas variáveis, tais como características demográficas e serem filhos de mães fumadoras.

 

No entanto, na opinião dos autores, será necessário efectuar mais estudos para clarificar a associação entre o peso à nascença e os problemas respiratórios subsequentes.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.