Baixas longas podem contribuir para uma morte antecipada

O estudo foi feito pelo Instituto Finlandês da Saúde Ocupacional

17 agosto 2003
  |  Partilhar:

Os que abusam das chamadas baixas podem estar a contribuir, de uma maneira mais rápida, para a sua própria morte.
 

 

Pelo menos é o que dizem os investigadores do Instituto Finlandês da Saúde Ocupacional. Segundo este estudo, os funcionários que metem baixas longas mais do uma vez em dois anos correm maior risco de morte.
 

 

Para tirarem estas conclusões, os investigadores estavam no terreno há 10 anos. Durante esse período foram analisadas as licenças por baixa médica de mais de dez mil funcionários públicos, 6895 homens e 3413 mulheres.
 

 

As conclusões espantaram qualquer um: pessoas de ambos os sexos com mais de cinco baixas superiores a uma semana tinham uma taxa de mortalidade duas a cinco vezes maior.
 

 

Contudo, as ausências que não se deviam a motivos de saúde não demonstraram qualquer ligação com uma maior taxa de mortalidade. No entanto, pessoas que tiravam licenças curtas apresentaram um menor risco de morte, pelo que os investigadores crêem que ausências de alguns dias podem representar uma forma saudável de lidar com a rotina.
 

 

Quem quer tirar baixa?
 

 

Fonte: Diário Digital
 

 

Adriana José Oliveira
 

MNI – Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.