Baixa por doença é principal perda de capital humano para a economia

Estudo da OMS liderado por investigadores espanhóis

22 dezembro 2010
  |  Partilhar:

Os dias de baixa por doença são a principal razão de perda de capital humano para a economia de um país, segundo um estudo recente realizado por especialistas do Instituto de Investigação Hospital del Mar, de Barcelona, publicada pela agência Lusa.

 

O estudo foi conduzido em 24 países dos cinco continentes, incluindo Portugal, e faz parte da pesquisa mundial de saúde mental da Organização Mundial de Saúde (OMS).

 

O trabalho detectou que os problemas de saúde que mais afectam a produtividade de um país são os associados à dor, como artroses, dores cervicais e dores de costas. Estas doenças são as que mais incapacitam o indivíduo de trabalhar, representando 21,5% de todos os dias de baixa completa, seguidas de enxaquecas, dores de cabeça graves, doenças cardiovasculares e depressão.

 

Para o estudo foi usado um questionário validado, o Composite International Diagnostic Interview (CIDI), com o qual foram realizadas entrevistas a 62.971 adultos.

 

Em Portugal, o trabalho foi conduzido pela faculdade de ciências médicas da Universidade Nova de Lisboa e revelou que 22,9% dos 3.849 portugueses entrevistados sofrem de perturbações psiquiátricas. Em comparação com os dados de outros países europeus que integram o projecto, Portugal é o que tem a prevalência mais alta, com números que se aproximam dos EUA, o país com mais prevalência de perturbações psiquiátricas no mundo, com 26,3%.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.