Bactérias orais e pneumonia: qual a ligação?

Estudo publicado na revista “mSphere”

23 agosto 2018
  |  Partilhar:
As pessoas idosas que apresentam uma fraca higiene e saúde orais poderão correr um maior risco de problemas respiratórios, indicou um novo estudo.
 
O estudo que foi conduzido por uma equipa de investigadores da Faculdade de Ciências Dentárias da Universidade de Kyushu, em Fukuota, Japão, demonstrou a importância do microbioma da língua para a nossa saúde respiratória.
 
Segundo Yoshihisa Yamashita, investigador deste estudo, e colegas o microbioma oral é importante para a saúde em geral pois as bactérias que ingerimos afetam todos os aspetos da nossa saúde.
 
Adicionalmente, além de as bactérias presentes no microbioma da língua entrarem nos intestinos, os idosos em particular podem inalá-las também. Isto sucede quando os idosos têm, por exemplo, problemas em engolir ou de refluxo ao tossirem, podendo inalar acidentalmente aquelas bactérias, as quais por sua vez podem causar infeções respiratórias como pneumonia. 
 
Para o estudo, os investigadores analisaram o microbioma da língua de 506 idosos japoneses com idades compreendidas entre os 70 e os 80 anos.
 
As principais bactérias detetada foram as Prevotella histicola, Veillonella atypica, Streptococcus salivarius e a Streptococcus parasanguinis. Os investigadores afirmaram que alguns estudos associaram estas bactérias a um maior risco de morte por pneumonia.
 
Os microrganismos foram identificados predominantemente em idosos que apresentavam mais placa, cáries e menos dentes. A equipa observou ainda a presença de mais fungos nos microbiomas daqueles participantes e ainda nos que usavam dentaduras. 
 
Estes achados “sugerem que os adultos mais velhos com uma saúde oral mais débil engolem mais microbioma disbiótico formado na língua”, concluíram os investigadores. A disbiose consiste no desequilíbrio microbiano nos intestinos ou língua.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar