Bactéria nos mosquitos aumenta transmissão da dengue

Projeto liderado por investigadora portuguesa

18 abril 2018
  |  Partilhar:
Um projeto internacional, liderado por uma investigadora do Porto, concluiu que a presença da bactéria “Wolbachia” nos mosquitos responsáveis pelo vírus da dengue pode aumentar o potencial de transmissão da doença, indicou a agência Lusa.
 
O estudo, liderado por Gabriela Gomes, do Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos (CIBIO-InBIO), do Porto, indicou que embora o mosquito “Aedes aegypti” não seja um hospedeiro natural desta bactéria se for infetado pela “Wolbachia”, apresentará um maior potencial de transmitir a dengue.
 
As conclusões deste projeto desafiam os resultados de estudos anteriores que demonstravam que, em condições controladas, a sua presença reduzia a transmissão do vírus.
 
Segundo o CIBIO-InBIO, os modelos matemáticos de transmissão de doenças baseiam-se, normalmente, em valores médios populacionais da suscetibilidade dos indivíduos ao agente infecioso. Neste estudo a equipa demonstrou que considerar apenas os valores médios compromete a capacidade preditiva de resposta a intervenções.
 
Além disso, os investigadores afirmam que as previsões variam consoante o ambiente, o que impede o recurso a abordagens simples.
 
Os resultados desta investigação mostram, assim, que não existe um modelo matemático simples para prever o impacto da bactéria “Wolbachia”, na capacidade de os mosquitos transmitirem a doença da dengue aos humanos.
 
Para a investigadora Gabriela Gomes, líder do projeto, sendo o ambiente variável, "é premente" catalogar os agentes infeciosos dos mosquitos sob várias condições ambientais.
 
Além da dengue, o mosquito do género “Aedes”, originário das regiões tropicais e subtropicais, é responsável pela transmissão de diferentes patologias ao ser humano.
 
A dengue é uma doença infeciosa cujos sintomas incluem febre, dores e erupções cutâneas. Em alguns casos, pode evoluir para um quadro de febre hemorrágica, com risco de morte.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar