Avanços no conhecimento da doença de Machado-Joseph

Trabalho desenvolvido pela Universidade do Minho

23 julho 2007
  |  Partilhar:

 

Cientistas portugueses deram mais um passo no conhecimento de uma doença neurológica identificada pela primeira vez em Portugal, ao caracterizarem um gene homólogo causador dessa patologia num estudo publicado numa revista norte-americana de biologia experimental.
 

 

Segundo as principais autoras da investigação, Patrícia Maciel e Ana João Rodrigues, do Instituto de Ciências da Vida e da Saúde da Universidade do Minho, o objectivo foi tentar compreender a função biológica, até agora desconhecida, da ataxina-3, uma proteína que é codificada pelo gene responsável pela doença neurodegenerativa de Machado-Joseph (DMJ).
 

 

"O trabalho consistiu em caracterizar um gene homólogo ao causador da DMJ num pequeníssimo verme chamado Caenorhabditis elegans, o primeiro animal cujo genoma foi completamente sequenciado", explicou a cientista Patrícia Maciel, acrescentando que “esse modelo (C. elegans) é também usado no ensino do sistema nervoso aos alunos de Medicina".
 

 

O estudo foi publicado na edição on-line da Federation of American Societies for Experimental Biology (FASEB Journal) e teve também como autores Jorge Sequeiros, Cláudia Santos, Maria do Carmo Costa e colegas norte-americanos.
 

 

Fontes: Lusa e Imprensa Internacional
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.