Aumento de peso afeta sempre risco cardiometabólico

Estudo publicado na revista “PLOS Medicine”

12 dezembro 2014
  |  Partilhar:

O aumento de tecido adiposo afeta negativamente vários marcadores do risco metabólico mesmo em jovens adultos magros, dá conta um estudo publicado na revista “PLOS Medicine”.
 

O estudo conduzido pelos investigadores da Universidade de Oulu, na Finlândia, defende que mesmo dentro de uma gama de Ìndice de Massa Corporal (IMC) considerado saudável, não existe um limite abaixo do qual um aumento de IMC não afete negativamente o perfil metabólico de um indivíduo.
 

A adiposidade ou o excesso de tecido adiposo é uma ameaça crescente para a saúde pública. Comparativamente com os indivíduos magros, os que têm um IMC mais elevado apresentam um maior risco de desenvolver doenças cardiometabólicas, incluindo diabetes, enfarte agudo do miocárdio e acidente vascular cerebral, que encurtam a longevidade.
 

No estudo, os investigadores liderados por Peter Würtz decidiram avaliar se o aumento de IMC em 12.664 adolescentes não obesos e jovens adultos afetava o risco cardiometabólico, tendo para tal utilizado uma técnica denominada aleatorização  Mendeliana. No total foram medidas 82 moléculas no sangue dos participantes.
 

Os investigadores apuraram que a adiposidade não só influenciava negativamente os níveis de colesterol e de glucose no sangue, como também causava outros problemas metabólicos em diferentes vias metabólicas.
 

Através de uma análise mais detalhada das alterações do IMC e dos marcadores de risco cardiometabólico em 1.488 jovens adultos ao longo de seis anos, os investigadores constataram que o perfil de risco cardiometabólico era altamente sensível a alterações do peso ao longo do tempo.
 

Os resultados deste estudo sugerem que há uma generalização dos efeitos metabólicos prejudiciais com qualquer aumento do IMC nos jovens adultos não obesos. Contudo, verificou-se que pequenas diminuições de peso eram acompanhadas por várias alterações favoráveis no perfil sistémico metabólico.
 

“O efeito causal da adiposidade em vários marcadores de risco cardiometabólico ao longo do perfil metabólico chama a atenção para a importância da redução de peso da população (…)”, concluem os investigadores.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.