Aumentam casos de doença pulmonar obstrutiva crónica em não-fumadores

Estudo publicado na revista “Chest”

12 abril 2019
  |  Partilhar:
Uma equipa de investigadores observou que a prevalência de não-fumadores com doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC) tem vindo a aumentar.
 
Num estudo conduzido por uma equipa liderada por Sameer Arbat dos Hospitais KRIMS em Nagpur, Índia, procurou-se descrever as características de pacientes não-fumadores com DPOC e determinar comorbidades e exposições associadas à doença.
     
Para o estudo, foram examinados 180 pacientes com DPOC, entre os anos de 2016 e 2018. Os pacientes foram divididos em quatro categorias, segundo o grau de gravidade da doença: ligeira, moderada, grave e muito grave. 
 
O grau de gravidade da DPOC foi avaliado com base nas respostas dos participantes ao questionário GOLD (Global Initiative for Chronic Obstructive Lung Disease), usado na avaliação da doença.
 
A comorbidade mais comum nos não-fumadores com DPOC foi a hipertensão, que afetava 34,4%, seguida da diabetes, presente em 17,8% dos pacientes.
 
A maioria dos pacientes (61%) vivia em zonas rurais e 38% em zonas urbanas. 46% dos pacientes estavam expostos a biomassa e 26% a gases tóxicos. 
 
Segundo a equipa, estes achados indicam que a exposição a combustíveis de biomassa constitui um dos principais fatores que contribuem para DPOC, com maior risco na população rural. 
 
“A exposição ao fumo industrial, poluição ambiental e fumo das casas são os fatores que mais contribuem para a DPOC nos não-fumadores”, explicou Sameer Arbat. “É necessário estudar melhor este subgrupo de não-fumadores com DPOC para determinar a verdadeira causa deste aumento”, concluiu. 
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar