Atividade física moderada diminui risco de cancro da mama

Estudo publicado na revista “Cancer Epidemiology, Biomarkers & Prevention”

08 outubro 2013
  |  Partilhar:

As mulheres pós-menopáusicas que praticam exercício apresentam um menor risco de desenvolverem cancro da mama, dá conta um estudo publicado na revista “Cancer Epidemiology, Biomarkers & Prevention”.
 

Vários estudos têm demonstrado que a prática de exercício físico diminui o risco de cancro. Contudo, ainda existem alguns pontos que não estão perfeitamente claros, nomeadamente se a intensidade do exercício físico é importante, se o efeito da prática do exercício depende das características dos tumores, e se o tempo que se permanece sentado também afeta este risco.
 

De forma a tentar clarificar estas questões, os investigadores da American Cancer Society contaram com a participação de 73.615 mulheres em idade pós-menopáusica. Ao longo de 17 anos de período de acompanhamento 4.760 mulheres foram diagnosticadas com cancro da mama.
 

Aproximadamente uma em cada dez (9,2%) mulheres revelou não praticar exercício recreativo no início do estudo. Entre aquelas que eram ativas, a média da prática de atividade física era de 3,5 horas por semana. As principais atividades escolhidas eram as que envolviam um exercício moderado como caminhada, andar de bicicleta, prática de exercícios aeróbios e a dançar, em detrimento de exercícios mais intensos como corrida, natação e ténis. No total cerca de 47% das participantes tinha como sua única atividade recreativa caminhar.
 

Os investigadores observaram que as mulheres ativas tendiam a ser magras, a manter ou a perder peso na infância, tinham mais tendência a ingerir bebidas alcoólicas e menos tendência a fumar. Adicionalmente estas mulheres também utilizavam mais frequentemente terapia de substituição hormonal e tinham sido submetidas a uma mamografia no último ano.
 

O estudo apurou que, entreas participantes para as quais caminhar era a única atividade, as que o faziam pelo menos sete horas por semana apresentavam um risco 14% menor de cancro da mama, comparativamente com as que caminhavam três ou menos horas por semana. De acordo com a maioria dos estudos anteriormente realizados, as mulheres mais ativas tinham um risco 25% menor de desenvolver este tipo de cancro, quando comparadas com as menos ativas. Estas associações eram independentes do estado dos recetores hormonais, do índice de massa corporal, aumento de peso e toma de hormonas.
 

“Os nossos resultados apoiam claramente a associação entre a atividade física e o cancro da mama em idade pós-menopáusica, sendo que a atividade física vigorosa é a que têm um efeito mais pronunciado. O estudo é particularmente relevante para os indivíduos que encontram informação contraditória sobre a quantidade de atividade física que é necessária para se manterem saudáveis. Caminhar pelo menos uma hora por dia diminui o risco deste tipo de cancro”, conclui o líder do estudo, Alpa Patel.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.