Atividade física afeta número de espermatozoides

Estudo publicado no “British Journal of Sports Medicine”

07 fevereiro 2013
  |  Partilhar:

A qualidade dos espermatozoides pode ser afetada pelo nível de atividade física, sugere um estudo publicado no “British Journal of Sports Medicine”.
 

Para este estudo os investigadores da Harvard School of Public Health, nos EUA, contaram com a participação de 189 homens com idades compreendidas entre os 18 e os 22 anos. Todos os participantes foram questionados sobre a prática de exercício físico, horas que dedicavam a ver televisão, bem como relativamente a outros fatores que poderiam afetar a qualidade dos seus espermatozoides, nomeadamente o tipo de dieta habitualmente adotada, níveis de stress e hábitos tabágicos.
 

Os investigadores constataram que o número de participantes com problemas reprodutivos era bastante pequeno, bem como o número de fumadores, apenas 25% dos homens fumava. O número de horas despendidas a praticar exercício físico variava entre 5 a 14 horas semanais. Por outro lado, os participantes despendiam 4 a 20 horas semanais a ver televisão.
 

O estudo apurou que os homens que viam mais de 20 horas semanais de televisão tinham um número de espermatozoides 44% menor, comparativamente com aqueles que quase não viam televisão. Por outro lado, os homens que praticavam mais de 15 horas semanais de exercício físico, moderado a vigoroso, tinham um aumento de cerca de 73% no número de espermatozoides.
 

Os investigadores referem que um número de espermatozoides menor não afeta necessariamente a capacidade reprodutiva homem. Contudo, os resultados sugerem que a prática de atividade física pode aumentar a qualidade dos espermatozoides. Estudos anteriores também já tinham constatado que a prática de atividade física moderada aumentava os níveis hormonais e as características dos espermatozoides.
 

“As investigações futuras deverão avaliar o modo como cada tipo de exercício afeta a qualidade dos espermatozoides, uma vez que os estudos anteriores sugerem que poderão ocorrer efeitos opostos relativamente ao efeito que os diferentes tipos de exercícios têm nas características dos espermatozoides”, concluem os autores do estudo.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.