Associação Portuguesa de Hemofílicos reclama tratamento domiciliário

«Dia Mundial da Hemofilia» assinala-se hoje

16 abril 2003
  |  Partilhar:

A Associação Portuguesa de Hemofílicos (APH) assinala hoje o «Dia Mundial da Hemofilia» como mais uma jornada de luta por uma velha causa - o tratamento domiciliário dos cerca de mil portugueses que sofrem daquela doença hereditária.
 

 

A hemofilia, uma doença transmitida pelas mulheres, mas que afecta apenas os homens, caracteriza-se por uma deficiência no processo de coagulação no sangue, o que provoca hemorragias frequentes, sobretudo a nível articular e muscular.
 

 

O tratamento é feito com produtos de exclusivo uso hospitalar, como concentrados de plasma de sangue humano ou produtos de origem genética, os chamados «recombinantes», que corrigem a falta dos factores de coagulação sanguíneos (factor VIII ou IX).
 

 

A vice-presidente da APH, Maria de Lurdes Fonseca, lamentou à Agência Lusa a inexistência de enquadramento jurídico que permita aos doentes tratarem-se em casa e evitarem a deslocação ao hospital.
 

 

Diagnosticada normalmente durante o primeiro ano de vida da criança, a hemofilia afecta um em cada cinco mil rapazes que nascem.
 

 

Em Portugal estima-se que existam cerca de mil hemofílicos, a grande maioria dos quais com uma hemofilia do tipo A (deficiência de factor VIII).
 

 

Fonte: Lusa
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.