Associação entre a insuficiência cardíaca e a diabetes é desvendada

Associação entre a insuficiência cardíaca e a diabetes é desvendada

09 janeiro 2012
  |  Partilhar:

Investigadores parecem ter encontrado a causa da associação entre a insuficiência cardíaca e a diabetes, e talvez tenham descoberto uma forma de quebrar este círculo metabólico vicioso, dá conta um estudo publicado na revista “Cell Metabolism”.

 

“Os nossos resultados clarificam as razões que explicam porque é que a insuficiência cardíaca é elevada nos indivíduos com diabetes, porque é que a prevalência da resistência à insulina está aumentada nos pacientes com insuficiência cardíaca e porque o tratamento da resistência à insulina melhora o prognóstico dos pacientes com insuficiência cardíaca”, revelou, em comunicado de imprensa, um dos autores do estudo, Tohru Minamino, da Faculdade de Medicina da Universidade da Chiba, no Japão.

 

Os resultados deste estudo indicaram que esta associação ocorre devido a um efeito dominó. O stress provocado pela insuficiência cardíaca ativa o sistema nervoso simpático. A resposta ao stress ativa uma proteína, a p53, que segundo o investigador, é um sinal de envelhecimento celular. A sinalização desta proteína conduz consequentemente à inflamação do tecido adiposo, resistência sistémica à insulina e pior função cardíaca.

 

A proteína p53 é conhecida por ser um supressor tumoral. “Tem vindo a ser descrito que o envelhecimento celular dependente da p53 é um mecanismo protetor do desenvolvimento do cancro”, revela Tohru Minamino. Mas a ativação constante da proteína pode promover a inflamação, o cancro, e outras doenças associadas à idade.

 

Estudos anteriores realizados pelo mesmo investigador já tinham demonstrado que o envelhecimento celular ou o stress induzido pela acumulação da p53 no coração promovia a ocorrência da insuficiência cardíaca. O envelhecimento e a ingestão de calorias extra induzem o mesmo sinal de envelhecimento no tecido adiposo. Este novo estudo mostrou que a ativação da p53 no coração também conduzia a ativação desta proteína no tecido adiposo. Os sinais de envelhecimento associados à p53 nos dois tecidos (coração e tecido adiposo) interagem um com o outro, acelerando consequentemente o desenvolvimento de doenças associadas com a idade.

 

Estes resultados sugerem que o tratamento ideal envolveria o bloqueio da inflamação que acompanha a ativação do p53 sem, no entanto, comprometer a sua capacidade de combater o cancro.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.